Geral

Justiça autoriza que jovem se case com assassino de sua irmã

JOVEM ARGENTINAA Justiça da Argentina autorizou o casamento de uma jovem com um homem condenado a 13 anos de prisão por ter participado do assassinato de sua irmã gêmea, em 2010. A autorização foi concedida pela juíza Gabriela Zapata, da cidade de Pico Truncado, interior do país, após estudos psicológicos em Edith Casas, de 22 anos, que atestam que ela não “apresenta disfunção psicológica ou mental que lhe impeça de contrair matrimônio”, com um dos autores do assassinato de sua irmã, Víctor Cingolani. O futuro marido de Edith foi condenado por envolvimento na morte de Johana Casas, assassinada com dois tiros, em 2010. Ele, que já namorou com a jovem assassinada, garante ser inocente.

A mesma juíza, em dezembro do ano passado, já havia suspendido o matrimonio após um pedido judicial dos pais de Edith, que não concordam com o casamento. A mãe de Edith, Marcelina Orellana, disse que a filha não se encontrava “no pleno uso de suas faculdades” e estava “privada de sua razão e pondo em risco sua integridade física e psíquica”. Diante da nova decisão, a mãe afirmou que já não pode fazer mais nada por ela. Durante o julgamento de Víctor, Edith acusou o futuro marido de tê-la violentado várias vezes, e depois afirmou que fez isso por “pressões de sua família”. Em dezembro, a jovem declarou ao jornal Clarín, que não vai se casar com um assassino, mas sim com o homem que ama. “vou me casar com o homem que eu amo; formar uma família e viver com ele pelo resto da minha vida”. Informações R7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo