Cidades

Deputado Sargento Isidório ressalta: “Hoje eu não queimo mais a rodinha, rosquinha. Sou servo de Deus”

PASTOR ISIDORIO - BIBLIAO deputado estadual, pastor sargento Manoel Isidório (PSC) é sempre polêmico ao usar as palavras, principalmente ao dialogar sobre o quesito homossexualidade nas novelas atuais. Em entrevista a uma rádio local de Santo Antônio de Jesus nesta quinta-feira (30), o parlamentar declarou que ataca as imoralidades praticadas pelos personagens das novelas, “homens com homens e mulheres com mulheres não fazem filhos e se continuarmos estimulando isso para onde iremos? Vamos exterminar a humanidade? O horário é impróprio para crianças e adolescentes que ainda estão em formação de conduta e personalidade. Imagine mãe tomando o marido da filha, filha dando bofetada na cara da mãe, filho mandando pai tomar naquele lugar ou dando tiro no pai e pai com arma apontada para o filho quase dois minutos em uma cena vinculada no horário de nove horas”, declarou, acrescentando que não quer ser melhor do que ninguém, mesmo sendo pastor evangélico e possui uma natureza humana.
“Não reconheço ânus como aparelho de sexo”: Isidório disse ainda que geralmente as pessoas gostam de ver algumas coisas erradas, chamadas ‘sacanagens’, porém ele afirma que deveria ter horário para as crianças e adolescentes não verem esses tipos de cenas violentas, imorais e deturpadoras da conduta humana. Isidório relatou não ter problemas com gays ou lésbicas, contudo, como pastor não aprova as atitudes dos LGBTS. “Homem com homem é lobisomem, mulher com mulher é jacaré. Não reconheço ânus como aparelho de sexo, mas sim como tubo de esgoto do corpo humano. Vou dizer em qualquer lugar e não tem conversa. O homem que tirou a binga é mulher? Não, ele não é, mas apenas tirou a binga, criou uma cratera, pois vagina menstrua a cada 30 dias e esse buraco feitos nos homens não vão menstruar. A medicina não conseguirá colocar homens para serem mulheres, pois tudo o que Deus faz é perfeito, a Bíblia está dizendo que ele criou macho e fêmea. Sou contra qualquer tipo de violência, mas não aceito ‘neguinho’ vir desestruturar a família brasileira”, afirmou, ao mesmo tempo negando ser homofóbico, pois de acordo com ele essa classificação diz respeito a pessoas violentas que nutrem raiva do ser humano, perfil que não se enquadra nele, apesar de em sua infância ter sofrido abuso sexual, depois ter se tornado alcoólatra e entrado nas drogas por desobediência aos pais.
“Não queimo mais a rodinha”: O pastor colocou também que todo filho desobediente aos pais só traz desgraça: “Desobedeci meu pai e minha mãe, virei viciado em drogas, bêbado e há um ditado que diz: ‘furico de bêbado não tem dono’, fui também virar gay e não deu certo, pois graças a Deus fui liberto. Hoje eu não queimo mais a rodinha, rosquinha. Sou servo de Deus, respeito todo o gay e lésbica agora nós heterossexuais temos o direito de manter a família de Deus”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo