Geral

Resumo da sessão ordinária desta terça (26) na câmara de vereadores

camara de mutuipeNesta terça feira (26) aconteceu à terceira sessão ordinária na câmara de vereadores de Mutuípe.

Inscrito com o tempo de cinco minutos do pequeno expediente o vereador Júnior Cardoso (PR), fez diversas indicações como quebra molas, faixa de pedestre, reformas de quadra de esporte e reparos em calçamentos, Junior também enviou requerimento solicitando a presença da secretária de saúde do município com o intuito de esclarecer sobre os PSFs de Serra do Rato e Campo Seco localidades da zona rural do município. Solicitou ainda a presença da direção da APMIM de Castro Alves para responder os questionamentos do hospital Clélia Chaves Rebouças.

Outro vereador que usou o tempo de cinco minutos foi o vereador Didi Mocó que indicou redutor e sensor de velocidade na BR 420 saída para Laje nas imediações do posto de combustível, e enfatizou que não trabalha em beneficiou próprio e sim do povo ressaltou ainda que não é vereador apenas de seus eleitores mais sim de toda a população de Mutuípe.

O morador Joselito Rodrigues vulgo “Zé da Onça” fez uso da tribuna livre falando da comunidade da Muquiba zona rural de Mutuípe e agradeceu o apoio dos edis da prefeitura das associações e do sindicato dos trabalhadores rurais que lutaram bravamente pelo funcionamento da casa de farinha da região.

Inscrito com tempo de doze minutos do grande expediente o vereador Paulo Argolo (PC do B) falou de uma visita ao gabinete do Deputado Álvaro Gomes para solicitar a construção da pavimentação da estrada que liga Mutuípe a Serra Grande e cobrar alguns sistemas de eletrificação rural, Paulo ainda falou sobre a cobrança de 80% de esgoto sobre o consumo de água e pediu ao presidente a presença da acessória jurídica da prefeitura para debater sobre o assunto.

O vereador Waldomiro “Dinoite” (PT) iniciou sua fala tecendo comentários da jornada pedagógica, dos talentos do município e o projeto “Historiar” que tem como objetivo levar as salas de aula a história do município e da necessidade de transforma-lo em plano de educação. Falou do inicio das aulas na rede municipal e do quadro de professores ao mesmo tempo anunciou um possível teste seletivo para completar o quadro de profissionais da educação, lembrou do Mercovale e enfatizou as dificuldades enfrentadas pela administração e disse que é fase de arrumação da casa tendo como referencia a lei de responsabilidade fiscal.

O vereador Gilvan (PT) iniciou suas palavras citando o fundo municipal de cultura e o encantamento com a diversidade cultural do Vale do Jiquiriçá que diversas pessoas ao passar pela região percebem, falou da falta de apoio e lembrou a fanfarra e filarmônica que foram extintas na cidade. Cobrou a presença de secretários nas reuniões do legislativo e falou da reconsideração das contas de “Neto” ex. prefeito da cidade falecido em fevereiro de 2012, ele ainda falou da sua ausência na sessão anterior juntamente no dia em que foi aprovada a composição das comissões e criticou a forma como foi distribuído às vagas fazendo referencia ao regimento interno da casa.

Quem também fez uso como tempo de doze minutos no grande expediente foi Júnior Cardoso, lembrando sua trajetória política do legado do vereador Gil em vinte anos como parlamentar, reconheceu o trabalho de alguns vereadores, lembrou também da luta de Néia com relação à saúde e de sua votação nas eleições de outubro passado, parabenizou a jornada pedagógica e criticou a cultura do município fazendo referencia ao hino de Mutuípe da Bahia e do Brasil que foi estabelecido pela câmara de vereadores e desrespeitado pelo executivo.

Junior foi bastante taxativo com as obras do município que não são concluídas dando como exemplo a cobertura da feira, as obras da Praça São Roque, o PSF da Serra do Rato. Relatou a as atitudes do prefeito que seguindo ele são vingança e perseguição política a aqueles que deixaram ao atual governo para votar em outro candidato. O vereador ainda criticou o prefeito por afirmou em entrevista a Rádio Interativa não ter conhecimento do grupo “Amigos de Mutuípe” que luta pela redução da taxa de esgoto na cidade. Junior ainda disse que o Tenente Mauricio foi expulso da cidade.

O vereador Didi Mocó (DEM) voltou a falar no tempo de doze minutos e cobrou limpeza para a Avenida do Cruzeiro que segundo ele está abandonada, Didi criticou Paulo Argolo que segundo ele teria mudado de opinião com  relação aos 80% da taxa de esgoto e disse que a cerca de um ano atrás o vereador afirmou não poder fazer nada para resolver o problema, finalizando o vereador cobrou da prefeitura uma vistoria nos ônibus escolares que transportam os alunos da zona rural para a sede do município.

O vereador Josinei (PMDB) “Negão das Frutas” fez indicações da recuperação de estradas na região do Corgeo zona rural do município que segundo ele há muitos anos não é feita, cobrou a manutenção de um projeto que beneficia sessenta e cinco alunos da comunidade da  Capelinha de São José que segundo ele também está parado, ele se pronunciou ainda em relação a luta pela redução da taxa de esgoto e disse que se preciso pedira reunião com presidente da Embasa ou o governo do estado para resolver o problema.

A vereadora Néia indicou a reforma de estradas pediu calçamento para a comunidade do Mutuípinho, falou de animais soltos no Bairro Santo Antonio a desorganização quanto a estacionamento de carro nas ruas da cidade para finalizar falou do abando da Praça São Roque.

A última vereadora a se pronuncia foi Marcinha (DEM) que relatou as dificuldades enfrentadas por vereadores de oposição para conseguir as coisas junto à administração, falou do problema do calçamento da Rua Clementino Santos e cobrou novamente calçada no local, falou das obras inacabadas, afirmou que a saúde está abandonada e também fez referencia a perseguição política que está acontecendo em Mutuípe por parte do prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo