Geral

Queiroga diz que abriu sindicância para investigar suspeita de propina por vacina

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quarta-feira (30), que a pasta abriu sindicância para investigar a denúncia de cobrança de propina na compra de vacinas compra a Covid-19.

O pedido de dinheiro pela aquisição de vacinas teria sido feito por Roberto Dias, ex-diretor do departamento de Logística do Ministério, que foi demitido nesta quarta-feira, em publicação do Diário Oficial da União.

O caso foi revelado pela Folha de S.Paulo nesta terça-feira (29). A publicação diz que Roberto Dias foi acusado pelo empresário Luiz Paulo Dominguetti, apresentado como representante da empresa Davati Medical Supply. Ele negociava a venda de 400 milhões de doses de vacina contra o coronavírus.

Ainda segundo a matéria, o servidor do Ministério da Saúde teria pedido US$ 1 por cada dose do imunizante.

Após exoneração de Dias, Queiroga disse que a pasta investiga a suspeita de corrupção. “Ele foi exonerado ontem. Quando há algum tipo de indício ou de colocação que possa sugerir fatos gravosos, a gente tem que afastar o servidor, sem avaliar o mérito de culpabilidade. Está sendo apurado, instauramos uma sindicância e essa sindicância vai trazer soluções”, disse.

Roberto Dias foi convocado para depoimento na CPI da Pandemia nesta quarta-feira (3). Fonte: Bahia Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo