BrasilCidadesGeral

Em vídeo, Weintraub fala em luta pela liberdade e ataca indígenas e ciganos

Um trecho do vídeo divulgado nesta sexta-feira (22) pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), mostra o ministro da Educação Abraham Weintraub afirmando que “odeia” a expressão “povos indígenas”. Weintraub disse ao presidente Jair Bolsonaro e a seus colegas que repudia a expressão porque todos são “o povo brasileiro” e emenda com uma crítica aos povos ciganos. 

Na reunião, o ministro sugeriu ainda que o governo está “perdendo a luta pela liberdade”. “A gente tá perdendo o espíirito, a luta pela liberdade, é isso que povo de gritando, não está gritando pra ter mais estado, projetos. O povo está gritando por liberdade. Eu não quero ser escravo desse país e acabar com essa porcaria que é Brasília. Brasília é muito pior do que eu poderia imaginar”. 

“O povo tá querendo ver o que me trouxe aqui. Por mim botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF.  Isso que me choca, realmente acho que toda essa discussão de fazer isso, aquilo, ministros que chegaram  e foram embora”, acrescenta.


E avança: “Odeio o partido comunista, querem transformar a gente em uma colônia. Odeio essa coisa de povo. Todos são povo brasileiro. Tem que acabar com esse negócio de povo e privilégios”.

Weintraub ainda sugeriu que tem sido atacado por “lutar”: “Eu percebo que tem muita gente com agenda própria. Eu percebo que tem, assim, tem o jogo que é jogado aqui, mas eu não vim pra jogar o jogo. Eu vim aqui pra lutar. E eu luto e me ferro. Eu tô com um monte de processo aqui no comitê de ética da presidência. Eu sou o único que levou processo aqui”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar