Economia

Economia baiana cresce 2,9% no primeiro trimestre de 2024

A Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 4,3 bilhões, a Indústria R$ 33,8 bilhões e os Serviços R$ 70,5 bilhões.

Conforme cálculos realizados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia cresceu 2,9% no primeiro trimestre de 2024 em comparação ao mesmo trimestre do ano anterior. Na comparação com o 4º trimestre de 2023 – eliminando as variações sazonais – houve crescimento de 0,9%.

PIB em valor corrente

No 1º trimestre de 2024, o PIB baiano totalizou R$ 122,9 bilhões, sendo R$ 108,6bilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 14,3 bilhões relativo aos impostos arrecadados no período. No que diz respeito aos grandes setores, a Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 4,3 bilhões, a Indústria R$ 33,8 bilhões e os Serviços R$ 70,5 bilhões.

“Neste trimestre, constatamos o crescimento da renda média do trabalhador. Isto, associado aos efeitos do programa Desenrola, que recolocou no mercado boa parcela de consumidores, influenciou no crescimento de 6,1% do comércio baiano no primeiro trimestre, sendo o principal segmento a impactar no PIB do estado”, avalia o diretor de Indicadores e Estatística da SEI, Armando Castro.

1º trimestre de 2024/1º trimestre de 2023

A atividade econômica da Bahia cresceu 2,9% no primeiro trimestre de 2024 em comparação com o mesmo trimestre de 2023. A decomposição desse crescimento entre Valor Adicionado e Impostos, mostra expansão tanto no Valor Adicionado (+2,8%) quanto nos impostos (+3,4%). Entre os grandes setores produtivos, as variações observadas foram: agropecuária -4,7%, indústria +3,1% e serviços +3,3%.

A queda do setor agropecuário (-4,7%) foi proveniente da taxa negativa da agricultura, onde se observou menor quantidade produzida nas principais culturas colhidas no 1º trimestre do ano. Com menor peso no setor, o segmento da pecuária apresentou crescimento nos três primeiros meses de 2024, ante mesmo período do ano anterior.

A taxa positiva do setor industrial (+3,1%) foi proveniente das altas nas atividades das indústrias de Transformação (+3,6%), da Extrativa mineral (+16,3%) e Construção Civil (+2,1%), que juntas representam mais de 80% da indústria baiana. Por outro lado, a atividade de produção e distribuição de Eletricidade e gás, água, esgoto retrai 3,2%, em função da menor quantidade gerada nas fontes hidrelétricas.

O setor de Serviços baiano registrou alta de 3,3% no 1º trimestre do ano puxado pela dinâmica positiva da atividade de Comércio (+6,1%); das Atividades imobiliárias, com crescimento de 2,4%, e da Administração pública (+2,6%). Destaca-se ainda o crescimento no grupo Outros Serviços (+3,8%), que engloba as atividades de Serviços de alojamento e alimentação, Serviços de informação e comunicação, Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados, Atividades profissionais, científicas e técnicas, administrativas e serviços complementares, Educação e saúde mercantis, Artes, cultura, esporte e recreação e outras atividades de serviços e Serviços Domésticos. Já a atividade Transportes registrou queda de 1,9%.


Descubra mais sobre Mídia Bahia

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios