Geral

Bebê fica em estado vegetativo após suposto descaso de hospital em SC

Denúncia foi feita pela mãe da criança, que relatou demora para a realização do parto.

bebe fica em estado vegetativoA mãe de um bebê recém-nascido aguarda ansiosamente para levar o filho para casa em Itajaí (SC). O menino está internado em estado vegetativo desde que nasceu, há pouco mais de um mês. A família acredita que a criança está nesta situação por negligência médica já que o parto só foi realizado 15 horas depois de a bolsa ter estourado.
E.R., de 16 anos, contou à Rede Record que chegou ao hospital por volta das 22h, logo após a bolsa estourar. Na manhã do dia seguinte, os médicos tentaram induzir o parto porque ela não tinha contrações.

Na tarde do dia seguinte, os profissionais tentaram ouvir o coração do bebê, mas perceberam que havia algo errado.

— Por volta das 12h, quando eu nem conseguia mais respirar, eles vieram escutar o coraçãozinho do bebê de novo, mas o coração já tinha parado.

Fabia Roberta, avó do bebê, se desespera ao lembrar que quase perdeu a filha e o neto. Ela acompanhou tudo de perto.

— O médico falou que o bebê estava morto e eu não aceitei porque o meu neto é saudável. Depois disso, os médicos começaram a bombear oxigênio. Na verdade, se eu não tivesse falado, o bebê tinha morrido lá.

A mulher acredita que os médicos não deram a importância devida ao caso.

Veja também

Mulher de 32 anos com corpo de bebê recebe diagnóstico da doença pela primeira vez

Usar antidepressivo na gravidez pode prejudicar o bebê

Bebê dado como morto acorda em caixão durante seu funeral no Quênia

— Quando eles deram a bombeada [de oxigênio], ele deu uma respirada e aí correram para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva).
Durante o pré-natal, os profissionais que a acompanharam, disseram à adolescente que o parto deveria ser cesariana por causa da estatura. A jovem tem apenas 1,43 metro.

Hoje a família vive na esperança de que o bebê se recupera, informou a avó.

— É uma criança que Deus dava pra gente saudável. Mas, por imprudência de médicos, por preguiça, por desatenção, deixaram a criança ficar daquele jeito (sic).

A assessoria de imprensa do hospital informou que não pode divulgar assuntos relacionados a sigilo médico/paciente, apenas quando existir ordem judicial. A direção ainda afirma que os profissionais da instituição utilizam todos meios técnicos necessários de acordo com as normas éticas previstas na legislação e no tratamento de seus pacientes.

Ainda de acordo com o hospital, nos partos, são seguidas as regras do Ministério da Saúde e também da Rede Cegonha, que prioriza o parto normal. A cesariana só é realizada com expressa indicação médica, o que não seria o caso mostrado na reportagem

Foto: Reprodução/ Rede Record Siga o Midia Bahia no twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo