Cidades

Panelaço e ato de 15 de março tiram sono do PT

DILMA - DESESPERADAPara boa parte dos brasileiros, o panelaço durante o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff sequer foi ouvido. Muitos souberam do protesto do domingo apenas na manhã de ontem, pela imprensa ou por meio das redes sociais. Mas o barulho tirou o sono no quartel-general do PT e deixou os gabinetes do Palácio do Planalto em estado de alerta, sobretudo pela proximidade com a manifestação nacional contra o governo marcada para 15 de março.
 
Ainda na madrugada de ontem, a direção nacional do PT entrou em campo para tentar minimizar a orquestra de panelas, vaias, xingamentos e buzinas realizada em pelo meno 12 capitais do país. Entre elas, São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e Curitiba, onde o movimento teve maior proporção. Em nota, os petistas classificaram o ato como “orquestração com viés golpista” praticada pela alta classe média e financiada por “partidos de oposição”.
 
As declarações do PT foram feitas pelo secretário nacional de Comunicação do partido, José Américo Dias, e pelo vice-presidente, Alberto Cantalice. O texto foi publicado no site oficial da legenda por volta de 1h da madrugada, cerca de quatro horas após o pronunciamento de Dilma pelo Dia Internacional da Mulher, quando ela falou sobre ajuste fiscal e pediu compreensão e paciência dos brasileiros.Pela manhã, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, afirmou que o “panelaço” ocorreu em cidades e em bairros onde a petista perdeu as eleições “por uma grande diferença” e, em defesa da petista, disse que não há “terceiro turno” eleitoral. “A primeira regra do sistema democrático é reconhecer o resultado das urnas. Só tem dois turnos, não tem terceiro turno. Nós vencemos pela quarta vez (as eleições)”, declarou Mercadante. Leia mais no Correio*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar