Cotidiano

Oposição diz que tarifa de ônibus pode subir para R$ 4,25 em Salvador

A bancada de oposição na Câmara de Vereadores já está com a “faca nos dentes” para criticar o prefeito ACM Neto (DEM), que deu indícios na última semana de que a tarifa no transporte público em Salvador deve aumentar mais uma vez a partir de janeiro.  Estimativas do grupo dão conta de que, com o novo aumento, a tarifa pode chegar a R$ 4,25.

Para o líder da oposição, vereador Sidninho (Podemos), o rumor confirma o que ele chama de “profecia” de que isentar as empresas do setor  do pagamento do  Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), com renúncia de R$ 100 milhões aos cofres municipais, “só beneficiou o empresariado e não os milhares de usuários do transporte público”.  

Após o último aumento para R$ 4,00, a capital baiana passou a ter, junto com Aracaju, que cobra o mesmo valor, a passagem mais cara do Nordeste. “O reajuste [em 2019] foi de 8,1%, maior do que a inflação oficial do ano passado que ficou em 3,75% e no ano que vem o valor pode chegar a R$ 4,25. E o que acontecerão com os trabalhadores soteropolitanos: terão que trabalhar a pé, deixar de trabalhar,de colocar o pão na mesa de suas famílias”, alfineta o edil.

“Além da promessa  de 250 de 1000 ônibus com ar-condicionado não ter sido cumprida, a população que paga impostos tão altos, mais uma vez será penalizada com a elevação da passagem, lembrando que esse ano, todo esse processo se deu, sob a justificativa de poupá-los e não encarecer a tarifa, mas o que vimos é um a realidade totalmente diferente e punitiva para os mais fracos”, frisou o edil.

Nesta semana, Neto declarou que o estudo sobre o aumento da tarifa ainda está em andamento na Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos (Arsal), responsável por analisar os índices. “Todos os anos tem aumento e esse aumento não é discricionário. Ano passado, como havia impasse sobre renovação de frota, eu suspendi o aumento até que houvesse a garantia da renovação. Isso está superado. Estamos fazendo a fórmula e, caso haja, e a tendência sim é que haja uma pequena elevação em função da aplicação da fórmula, mas não será nada que tenha peso tão significativo, a variação, esse ano, caso aconteça, deverá ser menor que foi do ano passado para cá”, afirmou o prefeito.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar