Cidades

‘Não sou racista. Minha mulher é negra’, diz autor de injúria racial contra Tia Má

“Eu não sou racista. Minha mulher é negra”. A afirmação é do vendedor José Raimundo Pitta Júnior, 23 anos, que admitiu ter ameaçado de morte e ter cometido crime de injúria racial contra a jornalista Maíra Azevedo, mais conhecida como Tia Má. Após ser identificado pela polícia, ele foi até a 1ª Delegacia (Barris), em Salvador, acompanhado do advogado e da mãe, na tarde desta quarta-feira (14).

O jovem assumiu que atacou a jornalista e chegou a dizer que cometeu os crimes por causa da morte da ex-mulher, ocorrida há sete meses.

De acordo com José Raimundo, ela morreu de hemorragia durante o parto e, por causa disso, ele estaria passando por problemas psicológicos.“Eu não tinha a intenção de chamar Tia Má de macaca e eu descontei a raiva nela [Maíra]. Não sou racista.

Foi uma raiva que eu estava passando por causa da morte da minha ex-mulher”, alegou. Em sua defesa, José afirmou ainda que as ameaças foram “da boca pra fora” e que jamais teria coragem de fazer alguma contra Maíra. Ele falou que já a seguia nas redes sociais e, além disso, a acompanhava na televisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo