Saúde

“Não existe bronzeado saudável”, diz especialista

Se você é do tipo que adora ir à praia e ficar horas no sol, mesmo com protetor solar, é melhor tomar cuidado. Durante o 14º Congresso Mundial de Câncer de Pele, realizado em São Paulo, o dermatologista Fernando Stengel, conselheiro da Skin Cancer Foundation, disse que não existe bronzeado saudável e alertou para os perigos de se expor ao sol. As informações são da Agência FAPESP. “Protetores solares são eficazes em bloquear a radiação, mas infelizmente não os usamos corretamente. Mesmo se você usar o melhor protetor solar do mercado, se o sol estiver forte e você começar a transpirar ou entrar na água e usar uma toalha, o produto vai sair”, explicou o especialista.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de pele é o tumor mais comum no Brasil. A estimativa é que surjam 134,1 mil novos casos de câncer de pele e 1,3 mil casos de melanoma só em 2012. Durante o Congresso, Fernando disse ainda que um dos erros mais graves das pessoas é usar um filtro solar com fator inferior ao indicado. “Não recomendo produtos com FPS menor do que 30. No Brasil, eu usaria 50. Além disso, muitos não reaplicam o produto após duas ou três horas de exposição, ou após entrar na água. Outro erro comum é o que eu chamo de coquetel. As mulheres, na Argentina, usam filtro com FPS 60 no rosto, 40 no colo e mãos e 2 nas pernas, pois querem se bronzear. Qual é o local mais comum de melanoma em mulheres? As pernas”, afirmou. De acordo com o dermatologista, o efeito da radiação é cumulativo, então e uma única queimadura solar na infância ou na adolescência já é suficiente para dobrar o risco de melanoma. (Terra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo