Cotidiano

Moro fala em ‘gritante erro’ do STF em decisão sobre Lula

O ex-juiz Sergio Moro, pré-candidato do Podemos à Presidência da República, classificou como um “gritante erro” do Supremo Tribunal Federal (STF) a decisão de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no âmbito da Lava Jato.

Segundo o ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública, ao contrário do que entendeu a maioria da Corte, não houve parcialidade de sua parte na análise dos processos relacionados ao petista.

“Tomei a decisão de condená-lo com a consciência tranquila, porque era o que determinavam as provas”, disse Moro em entrevista à CNN Brasil, na noite de terça-feira 23. Ainda de acordo com o ex-juiz, Lula foi “poupado da derrota” ao não poder participar das eleições de 2018.

O ex-ministro também criticou o que chamou de “falsas narrativas” do PT, que alega perseguição da Lava Jato ao partido e considera que Lula teria sido um “preso político”.

Lula e ditaduras

Na entrevista, Sergio Moro criticou os comentários de Lula relativizando a ditadura da Nicarágua, comandada por Daniel Ortega, que foi novamente “reeleito” na semana passada. O ex-presidente da República, em entrevista na Espanha, chegou a comparar Ortega à primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, que ficou 16 anos no poder sob o regime parlamentarista.

“Acho preocupante quando se flerta com o autoritarismo, quando se tem alguém que quer ser candidato a presidente e fica elogiando Cuba, os presos políticos que existem em Cuba, minimizando restrições à liberdade. Quando fica elogiando a Nicarágua, que acabou de passar por eleições onde foram presos por motivos políticos os adversários. Acho que a gente tem razão para se preocupar”, afirmou Moro.

“Acho muito preocupante que não tenhamos clareza nas credenciais democráticas nas intenção de um candidato à Presidência da República, seja aqui, na extrema-direita ou infelizmente, como tem aqui no Brasil também, na extrema-esquerda”, finalizou.

Revista Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo