GeralSlide

MD quer lançar Eliana Calmon ao Senado, com apoio a Neto e palanque para Campos ou Marina

ELIANA CALMON - NETO - EDUARDOO recém-criado partido Mobilização Democrática (MD) – resultado da fusão entre o PPS e o PMN – tem um objetivo para lá de ambicioso na Bahia nas eleições de 2014. A legenda pretende iniciar a sua trajetória com pelo menos quatro deputados federais [Marcos Medrado – atual presidente do PDT em Salvador –, Maurício Trindade (PR), Elivelton Santana (PSC) e Jânio Natal (PRP)], seis estaduais [Elmar Nascimento (PR) – atual líder da oposição na Assembleia Legislativa –, Sandro Régis (PR), Targino Machado (PSC), Bruno Reis (PRP), além de dois governistas insatisfeitos] e oito vereadores só na capital [Orlando Palhinha (PP), Euvaldo Jorge (PP), Alberto Braga (PSC), José Trindade (PSL), Alemão (PRP), David Rios – recentemente trocou PTB por PSD –, além de Joceval Rodrigues e Cátia Rodrigues – já migrados de PPS e PMN, respectivamente]. A medida tornaria a legenda a terceira maior bancada da AL-BA  e a mais numerosa da Câmara Municipal. Em relação a 2014, a meta é ainda mais ousada: a sigla aguarda a resposta da ministra do Superior Tribunal de Justiça, Eliana Calmon, convidada pelo presidente nacional do MD, deputado federal Roberto Freire, para ser candidata a senadora ou governadora, caso ACM Neto (DEM) realmente decline do apelo das oposições para disputar o Palácio de Ondina. Há ainda a possibilidade de aliança com o PSB, que deve lançar a senadora Lídice da Mata para concorrer à sucessão de Jaques Wagner. Embora o plano envolva PSDB e DEM, a estratégia é fazer palanque para Eduardo Campos (PSB) tentar a Presidência da República ou acolher Marina Silva, que tem enfrentado dificuldade em oficializar a sua Rede, para que haja pelo menos três oponentes ao PT, tanto em nível federal – com Dilma Rousseff – quanto estadual – com Walter Pinheiro, Rui Costa ou José Sérgio Gabrielli. Em meio às várias especulações, uma certeza: cogitados pela imprensa, dois ex-prefeitos soteropolitanos estão fora do planejamento. O deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) tem compromisso com o senador mineiro Aécio Neves, do seu partido, para ajudá-lo na busca pelo Palácio do Planalto. Já João Henrique de Barradas Carneiro (ainda PP) definitivamente não ingressará no MD. “O partido já nasce com a determinação de não abrigar quem tiver problema com a Lei da Ficha Limpa”, definiu o deputado estadual Elmar Nascimento, um dos que vão engrossar o caldo da nova agremiação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo