BrasilGeral

Manifestantes são alvo de julgamento sumário em Cuba

A ditadura cubana iniciou os julgamentos sumários contra os manifestantes detidos nos protestos realizados em 11 de julho. Dezenas de pessoas foram postas à disposição dos tribunais municipais nos últimos dias, acusadas de desordem pública, incitação ao crime e desacato. Os cidadãos devem ser punidos com até um ano de prisão.

Em um dos primeiros processos coletivos, realizado no fórum Dez de Outubro, dois jovens foram sentenciados a dez meses de cadeia, enquanto uma dezena a penas de um ano de reclusão. Os familiares dos manifestantes denunciam que, pela celeridade do procedimento, não tiveram tempo de contratar advogado, tampouco de preparar a defesa.

Um número cada vez maior de vozes, até mesmo de figuras revolucionárias, como a do escritor Silvio Rodríguez, pede moderação por parte da ditadura e solicita a liberação de cubanos que não participaram dos protestos.

Detenções

Os líderes da ditadura cubana não divulgaram cifra oficial de detidos. No entanto, ativistas políticos relatam mais de 500 prisões durante as jornadas de protesto em 11 e 12 de julho.

O ministro de Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, garante que o país respeita as garantias processuais, apesar de se tratar de procedimentos sumários, que tornam a defesa complicada, pois poucos dias transcorrem entre a detenção e a sentença.

Revista Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo