Cidades

Loures questiona STF sobre novas gravações e quer preservar cabelo

A defesa do ex-assessor presidencial e ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso desde sábado (3), pediu ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin para ter acesso a todas as gravações existentes no inquérito sobre ele, sob a alegação de que não pode haver “armazenamento de provas” sem o conhecimento do investigado.

Veículos como a revista “Veja” publicaram, no fim de semana, informações de que a Procuradoria Geral da República tem gravações envolvendo Rocha Loures e o presidente Michel Temer que ainda não foram divulgadas.

O advogado de Rocha Loures, Cezar Bitencourt, também solicitou a realização de uma audiência de custódia – em que se avalia a necessidade de manutenção da prisão preventiva-, além da não transferência do ex-deputado para o complexo da Papuda antes de ele prestar depoimento.

Rocha Loures está preso na Polícia Federal, em Brasília. No pedido, seu defensor diz ainda que, se a transferência para a Papuda ocorrer, não lhe seja imposto tratamento “desumano e cruel” e “especialmente que não se lhe raspe o cabelo como fizeram no Rio de Janeiro com Eike Batista.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo