Cotidiano

A história por trás da impressionante foto da Nasa após os ataques de 11 de setembro

terra - 11 de setembro - fumaca“A lágrimas não fluem da mesma maneira no espaço”. Essa foi uma das conclusões comoventes do astronauta americano Frank Culbertson após enviar à Agência Espacial Norte Americana (Nasa) a fotografia feita pouco depois dos ataques às Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2001.

CulbertsonO capitão Culbertson era o comandante da Expedição 3 da Estação Espacial Internacional (EEI) naquele dia trágico e , apesar de não estar sozinho na espaçonave – já que dividia a tripulação com os russos Vladimir Dezhurov e Mikhail Turin -, era único americano no espaço.
Na imagem feita por ele é possível ver duas enormes colunas de fumaça preta arrastadas pelo vento a partir do sul da ilha de Manhattan, onde um pouco antes estavam as torres de 110 andares de escritórios no World Trade Center, centro financeiro da cidade.
Nesta manhã, há 15 anos, às 08h46 da manhã, horário de Nova York, o voo 11 da American Airlines, que havia sido sequestrado, se chocou contra a Torre Norte.
O avião estava a 700 km/hora, e levava 92 passageiros e nove membros da tripulação a bordo.
Às 09h03, 18 minutos mais tarde, a Torre Sul foi atingida pelo voo 175 da United Airlines na altura dos andares 77 ao 85, a uma velocidade de 540 km/hora.
Os passageiros dos dois aviões foram somente algumas das 3 mil vítimas dos ataques e posterior destruição das torres, que caíram após o fogo derreter as estruturas que as mantinham firmes.
Os eventos desse dia foram uma série de ataques coordenados cometidos pelo grupo Al Qaeda, que deixaram mais de 6 mil feridos.
A tragédia vista do espaço
A EEI é um centro de investigação espacial que orbita a Terra desde 1998 e é administrado pelo programa de cooperação entre cinco agências espaciais, entre as quais estão a Nasa e a Agência Espacial Federal Russa.
Terra
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo