Bahia

Família desenterra criança em Itaetê após suposta profecia de pastor afirmar que ela estava viva

Corpo foi levado novamente ao hospital, mas médicos atestaram o óbito pela segunda vez.

Uma criança foi desenterrada após um suposto pastor ter ligado para a família e afirmado que a jovem estava viva, o caso aconteceu em Itaetê, nesta quinta-feira (25).

Segundo o site Informe Barra a criança que residia na localidade de Colônia, deu entrada no hospital do município, por volta das 2h da manhã, após um tempo o óbito foi constatado, a causa da morte não foi divulgada.

+ Tanhaçu: Ossadas são desenterradas para novos sepultamentos no cemitério de Sussuarana

Após ter o corpo liberado, foi realizado o funeral com familiares e em seguida o sepultamento, momento em que o site relata, de acordo com informações de populares, a suposta ligação do religioso teria ocorrido pedindo à família para que desenterrasse, que a criança estava viva. Crendo na profecia, os familiares desenterraram o corpo e, atestam ter visto a criança abrir os olhos e mexer as mãos.

A criança foi levada as pressas até o hospital novamente, no entanto, novamente os médicos constataram não haver nenhum sinal vital, a criança então foi levada para ser sepultada pela segunda vez, causando ainda mais dor no coração dos familiares que, por algum momento, acreditaram que um milagre havia acontecido.

Em entrevista ao Jornal da Chapa o pai da criança identificado por Gerson Nevis dos Santos acredita que sua filha tenha morrido por negligência: “ Ontem [quinta] foram para Mucugê, mas quando chegaram lá, os médicos já sabiam do estado da criança. Por conta do atestado de óbito que recebemos no hospital de Itaetê, lá em Mucugê eles não atenderam a criança. A mãe levou para Iaçu, lá também eles não atenderam. Foi passando o tempo demais e minha filha estava viva sim, só não achou o atendimento que precisava e acabou não resistindo”, declara o pai da menina que morreu.

Segundo a reportagem o secretário de saúde foi procurado, mas ele disse não ter informações concretas ainda sobre o caso.

As imagens viralizaram nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo