Educação

Estudantes reclamam de barulho em culto evangélico durante realização do ENEM em Mutuípe

Templo evangélico na rua José Tomas do Nascimento tirou a paciência de estudantes.

Os estudantes que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio na tarde deste domingo (17), no Colégio Dr. Julival Rebouças, em Mutuípe, foram prejudicados devido a realização de um culto evangélico.

Diante do tamanho desrespeito, alguns protestaram nas redes sociais, segundo eles, durante toda a tarde, se ouvia cantos, gritos e palmas que geravam desconcentração em quem realizava o exame.

Até o momento a Igreja Pentecostal Deus é Amor, não se manifestou publicamente a respeito das denúncias.

Identificada pelo prenome Maíra, uma integrante da IPDA disse que foi compreendido pela igreja, o incomodo a todos os estudantes, ela disse que a partir do momento que a direção do ENEM foi ao local o som foi reduzido, e quando a viatura também foi lá, reduziu-se mais ainda. Ela pediu desculpas e disse que não se repetirá.

Um Comentário

  1. Uma imensa falta de respeito dessa instituição religiosa. Acho impressionante que alguns ainda tentam justificar com falas absurdas do tipo: “se fosse uma festa ninguém reclamava” Quer dizer então, que em nome de “Deus” vale tudo?!! Vale desrespeitar o direito alheio, vale perturbar a paz e o sossego?!! Vale “roubar” sonhos desses estudantes, que já tiveram um ano bem complicado sem aulas?? Vale até fazer o papel das festas que tantam criticam?!! Vale mesmo?!! Seja festa particular, seja festa pública, seja carro de som, seja culto evangélico, católico, de candomblé ou de quem quer que seja, todos devem respeitar o direito e as leis, sobretudo um momento de prova, de avaliação, onde estar em jogo os sonhos e o futuro de milhares de jovens. Me solidarizo com todos os que estavam fazendo a prova nesse dia e que essa situação não mais se repita, que nossas autoridades sejam enérgicas pois, o direito de culto previsto na Constituição Federal não é absoluto ou soberano, não podendo portanto, afrontar, violar ou sobrepor outros direitos e bens jurídicos tutelados pela mesma Constituição. Parabéns à essa destemida jovem pela coragem e altivez!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo