Cotidiano

Dilma reage a falas de Bolsonaro sobre tortura: ‘Sociopata que não se sensibiliza’

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) rebateu as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre ter sido torturada no período em que foi presa pelo Regime Militar. Na manhã desta segunda-feira (28), o político sem partido cobrou uma radiografia da petista para provar uma fratura na mandíbula.

Em resposta, Dilma afirmou em nota que Bolsonaro se revela “exatamente como é” a cada manifestação pública. A ex-presidente se refere a um comportamento que desconhece a empatia pelo outro ser humano, que desrespeita a vida e defende a tortura.

A insensibilidade do presidente, segundo Dilma, persiste até mesmo diante dos quase 200 mil mortos que não resistiram às complicações da Covid-19.

“A visão de mundo fascista está evidente na celebração da violência, na defesa da ditadura militar e da destruição dos que a ela se opuseram. É triste, mas o ocupante do Palácio do Planalto se comporta como um fascista. E, no poder, tem agido exatamente como um fascista”, disse Dilma.

A ex-presidente disse ainda que Bolsonaro mostra a “índole própria de um torturador” na medida que debocha gargalha com escárnio de quem foi torturado enquanto esteve sob custódia do Estado. Na avaliação de Dilma Rousseff, a postura do presidente insulta não só ela, como também outras milhares de vítimas da Ditadura Militar.

“Um sociopata,que não se sensibiliza diante da dor de outros seres humanos, não merece a confiança do povo brasileiro”, finalizou.

Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo