Cotidiano

‘Com a pandemia, regredimos 20 anos na educação brasileira’, afirma especialista

De acordo com o secretário Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Maurício Cunha, a educação brasileira regrediu duas décadas com a pandemia. Ele defende a volta do ensino presencial e argumenta que mais de 3 milhões de crianças não têm acesso ao ensino remoto no Brasil. Fora da escola, muitos alunos passam ainda por problemas nutricionais e psicológicos — os professores são os maiores denunciantes de casos de violência doméstica.

“Com a pandemia, regredimos 20 anos na educação brasileira”, disse Cunha em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil, que vai ao ar neste domingo, 25. “Nesse momento, o apelo é que as crianças tenham acesso à educação presencial de uma forma planejada, escalonada, respeitando os protocolos de saúde, respeitando as escolhas das famílias, mas que não se prive as crianças desse direito.”

Revista Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo