BahiaNEWSPolícia

Chacina com nove mortes na Bahia foi motivada por ciúmes: “achava que era corno”

Conforme a polícia, a sogra do mandante estava entre a vítimas. A mulher teria sido atingida porque o alvo principal estava na casa dela..

A chacina em Mata de São João que deixou nove pessoas mortas, na madrugada de segunda-feira (28), foi motivada por ciúmes e tinha inicialmente apenas uma pessoa como alvo conforme a Polícia Civil.
Fontes do Informe Baiano relataram que “o assassino achava que era corno” e por isso cometeu o massacre.

A delegada Chistiane Inocêncio, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana, relatou durante coletiva na manhã desta terça-feira (29) o que motivou o crime foi o fato de o suposto mandante sentir ciúmes de uma das vítimas, que seria o ex de sua atual namorada. Este alvo foi identificado como Preá. Ele era procurado pela polícia e tinha mandados judiciais expedidos por lesão corporal, tráfico de drogas, homicídio e violência doméstica.

“Estamos trabalhando com [a hipótese de] crime passional e as diligências permanecem. Não posso informar nomes, porque comprometeria o andamento das investigações, mas temos um alvo principal e um alvo aleatório”, disse a delegada, complementando que a polícia está em busca do quarto homem.

Sogra de mandante entre vítimas

A delegada explicou que até a atual sogra do mandante, de nome Cristiane, está entre as vítimas. Ela teria sido atingida porque o alvo principal, Preá, estava na casa dela.

Cristiane e Preá estavam na casa incendiada, onde estavam mais três crianças e dois adultos. No mesmo imóvel estava um bebê, que foi poupado pelos criminosos e foi resgatado pelo pai, e um adolescente de 12 anos, que está hospitalizado com lesões graves.

O menino de 12 anos que estava na casa onde as vítimas foram carbonizadas segue internado na ala de queimados do Hospital Geral do Estado, na capital baiana, em estado gravíssimo, de acordo com a polícia. Ele teve queimaduras em mais da metade do corpo e já prestou depoimento.

Segundo a delegada, o garoto se escondeu debaixo de uma cama e, por isso, não foi visto pelos criminosos durante ação. Mesmo com ferimentos causados pelo fogo, ele conseguiu sair na rua pedindo socorro e bateu nas portas de alguns vizinhos, até ser acolhido por duas moradoras em um dos imóveis. Ambas foram mortas a tiros.

Três envolvidos no massacre foram localizados, sendo que dois deles acabaram mortos em confronto com a PC. O homem preso confessou o crime. Há ainda um homem foragido.

“Essas duas senhoras são verdadeiras mártires dessa barbárie. Elas abriram a porta para essa criança, oportunidade em que os executores perseguiram a criança e mataram as senhoras”, afirmou Christiane, ressaltando que no segundo imóvel não havia indícios de fogo, nem outros ocupantes.

Entenda o caso

Duas famílias em casas vizinhas foram encontradas mortas nesta segunda-feira (28) na zona rural de Mata de São João . Na comunidade de Portal do Lunda, uma das moradias foi incendiada e sete pessoas foram carbonizadas, incluindo três crianças. Na outra, duas mulheres foram mortas a tiros.

Em entrevista ao g1, o perito Tiago Silva afirmou que pelo menos um homem foi morto a tiros antes de o imóvel ser incendiado, contudo, devido ao estado dos corpos, não é possível afirmar que as outras pessoas também foram baleadas.

Um suspeito de participar da chacina foi preso, e dois morreram em confronto com policiais civis, na madrugada desta terça-feira (29). Segundo a Polícia Civil, os suspeitos foram encontrados escondidos em uma região de mata. O homem que foi preso, conforme a delegada, foi ouvido, mas não deu informações relevantes para os investigadores.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios