Notícias

STF pode modificar calendário para garantir Peluso em votação

A imposição de fazer os funcionários comerem apenas seus produtos e a jornada de trabalho supostamente ilegal nas lojas McDonald’s de Pernambuco podem fazer a rede de fast food estadunidense desembolsar R$ 30 milhões de indenização por dano moral coletivo e mais R$ 30 mil por trabalhador em situação irregular, valores que devem ser revertidos para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). A ação foi movida Ministério Público do Trabalho (MPT) do estado em que as denúncias foram feitas. Os salários pagos aos funcionários seriam inferiores ao mínimo nacional de R$ 622, por conta da prática de pagar uma das horas em jornada, que deve ser de no máximo oito horas, como hora normal, e não hora extra. Até o impasse ter um desfecho, o McDonald’s não poderá fazer novas contratações na região, mas se defendeu ao afirmar que paga o piso salarial que é previsto pelos sindicatos que representam a categoria e que cobre todas as horas em que os funcionários estão à disposição no estabelecimento. Com informações da Última Instância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo