Cidades

PF indicia ex-jogador Edílson ‘Capetinha’ por quatro crimes

EDILSON - CAPETINHAA Polícia Federal indiciou, nesta segunda-feira (14), o ex-jogador da seleção Edílson da Silva Ferreira, conhecido como Edílson “Capetinha”, por crime organizado, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

Ele é um dos investigados na Operação Desventura, que desarticulou um esquema de fraude de pagamentos de loterias da Caixa Econômica Federal (CEF). “Edílson foi indiciado com as provas contidas na investigação e que são corroboradas com o material apreendido na casa de alguns investigados. Isso reforça o contato direto entre ele e os principais investigados”, disse a delegada Marcela Siqueira, responsável pelas investigações.

Leia mais

Governo anuncia corte de ministérios e oito medidas para economizar R$ 64,9 bilhões

Cidade quer proibir minissaias e shortinhos

Tentativa de explosão a banco é frustrada em Cravolândia

Segundo a delegada, Edílson era responsável pelo recrutamento e acesso aos gerentes da Caixa para participarem do esquema, mas, por enquanto, não há ordem judicial para prisão do ex-jogador. “Capetinha” prestou depoimento à PF nesta segunda e negou todas as acusações.

Ao sair da sede do órgão em Goiânia, que comanda a operação, ele disse estar “com a consciência tranquila” e que acredita que tudo será esclarecido. “Fiz o meu papel de cidadão. Fiz questão de vir a Goiânia para ajudar na investigação. Não ia deixar meu nome ser jogado no lixo”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo