BrasilCidadesGeral

Não quero e não tenho o que delatar, diz Queiroz a advogado

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, afirmou de que ele não quer e não teria motivo para delatar contra o caso das “rachadinhas” do qual é suspeito de participar enquanto trabalhava para o “filho 01” do presidente na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). 

A declação de Queiroz foi dada, de acordo com a coluna da Mônica Bergammo, da Folha. de S. Paulo, após ele ser questionado por Paulo Catta Preta, advogado do suspeito. 

A informação de que uma delação estaria a caminho foi divulgada na semana passada. Na segunda (29), ainda de acordo com a coluna, Preta esteve na prisão com Queiroz e afirma que o questionou com clareza. “Disse a ele que, se fosse essa a opção, eu teria que sair do caso e indicar outro advogado. E ele me respondeu que era o contrário”, diz o defensor.

Prisão

Fabrício Queiroz foi preso preventivamente em um sítio, localizado em Atibaia, São Paulo, no últim dia 18 deste mês. A residência, que também servia de escritório de advocacia do advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef.

Durante entrevista ele disse não saber como Queiroz havia parado ali, mas afirmou, sem dar muitos detalhes, que Queiroz poderia morrer. Em uma outra entrevista, o advogado confessou ter abrigado Queiroz na residência para tratar de um câncer, já que o hospital de tratamento fica próximo à casa. 

Apesar de Queiroz não ser considerado foragido da Justiça no período, Ministério Público do Rio aponta o advogado como o responsável por articular a ocultação do paradeiro do ex-assessor de Flávio Bolsonaro em meio às investigações sobre o suposto da “rachadinha”.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar