Cotidiano

Moro diz que não “ficaria de enfeite” no governo Bolsonaro e diz que PT precisa admitir “erros do passado”

Em entrevista ao Globo News na noite deste domingo (5), o ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou que deixou o governo Bolsonaro ao perceber que não teria independência para trabalhar.

“Entrei no governo e, quando percebei que não tinha condições de cumprir a agenda que defendo, eu não ia ficar lá de enfeite”, declarou Moro, cotado como um dos possíveis candidatos à Presidência em 2022, apesar de evitar comentar sobre o assunto.

Algoz de petistas, o ex-juiz da Lava Jato responsável por decretar a prisão do ex-presidente Lula, admitiu que tem arrependimentos em sua trajetória e que o PT deveria “reconhecer os erros do passado” para voltar a ser “competitivo”.

“O PT tem esse lado que acha que não aconteceu o mensalão, que não houve crimes na Petrobras, que a culpa disso é minha… Uma forma de recuperar a confiança é reconhecer o que fez de errado no passado”, opinou.

A conduta de Moro na condução da Lava Jato foi questionada, principalmente após a publicação de conversas com procuradores da Força-Tarefa da operação, em que aconselhava e trocava informações sobre o processo, na série do The Intercept Brasil, em parceria com outros veículos de comunicação.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar