Cotidiano

Justiça ‘procura’ peritos para exame psiquiátrico em Adélio Bispo

A Justiça Federal está buscando peritos para realizar um novo exame psiquiátrico em Adélio Bispo, que esfaqueou o presidente Jair Bolsonaro (PL) em um atentado em 2018, em Juiz de Fora (MG).

A 5ª Vara Federal Criminal de Campo Grande (MS) questionou o governo federal sobre a disponibilidade de peritos para a realização do exame. De acordo com o juiz Luiz Augusto Iamassaki Fiorentini, responsável pelo caso, não foram encontrados médicos psiquiatras que “aceitassem realizar a perícia”.

O exame permitirá que a Justiça decida se Adélio pode retornar ao convívio social ou se a internação deverá ser estendida por mais tempo.

Adélio Bispo está internado no presídio federal de Campo Grande. Em 2019, ao julgá-lo, a Justiça o considerou inimputável (não pode ser condenado) por questões de saúde mental.

Foi estipulada medida de segurança de internação por prazo mínimo de três anos, “ao fim do qual deveria ser realizada a perícia médica para verificação da manutenção ou cessação da periculosidade”.

A sentença transitou em julgado (sem possibilidade de novos recursos) em julho de 2019.

Em novembro do ano passado, com base em um pedido de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região mandou reabrir o caso.

O tribunal autorizou que a Polícia Federal (PF) vasculhe dados bancários e o conteúdo do celular apreendido em poder do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, um dos defensores de Adélio.

As informações podem revelar quem custeou os honorários advocatícios, o que, para Bolsonaro, levará a polícia ao suposto mentor do crime.

No início do ano, a PF escolheu um outro delegado, que inclusive já investigou o PCC (Primeiro Comando da Capital), para dar continuidade à investigação. ​A tarefa de Martin Bottaro Purper é esclarecer se Adélio contou com a ajuda de terceiros ou agiu a mando de alguém.

Revista Oeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo