Cotidiano

Islandês é 1º paciente do mundo a receber transplante duplo de braço e ombro

O primeiro transplante duplo de braço e ombro foi realizado com sucesso e o paciente, o islandês Felix Gretarsson, de 48 anos, passa bem após a operação, que envolveu quatro equipes cirúrgicas. A notícia foi divulgada pelos médicos em uma entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (22), em Lyon, na França, onde ocorreu o procedimento. 

Na entrevista, os médicos informaram que a cirurgia foi realizada no início de janeiro e, por enquanto, ainda é incerto dizer o quanto da mobilidade do paciente será recuperada. “Dar um pouco para alguém que estava perdendo tanto já é muito”, afirmou o cirurgião-chefe da operação, Aram Gazarian. 

Por anos, cerca de 50 médicos se envolveram em todo o processo do implante, até que os doadores adequados fossem encontrados. De acordo com as informações divulgadas na coletiva, quatro equipes cirúrgicas foram envolvidas para minimizar o tempo de transição entre o doador e o receptor. 

Segundo os médicos, a perspectiva de o braço direito se tornar funcional era melhor do que para o esquerdo, que também exigiu uma reconstrução completa do ombro. Os profissionais acrescentaram ainda que nenhuma complicação séria foi detectada, nove dias após a operação.

“Com este nível de amputação, não podemos prometer nada”, afirmou o cirurgião que lançou o protocolo médico para a operação em 2010, Lionel Badet. “Gretarsson tem anos de reeducação pela frente, mas vamos apoiá-lo por toda a vida”, disse. 

Acidente em 1998

O islandês Felix Gretarssoné um ex-eletricista que perdeu os dois braços em um acidente elétrico, em 1998. 

“Eu perdi tudo após o rescaldo, minha noiva foi embora com nossas duas filhas, perdi minha capacidade de cuidar de mim mesmo e perdi minha identidade”, relata Felix em seu site pessoal. 

Gretarsson trabalhava em um fio de alta tensão quando uma onda de 11 mil volts queimou suas mãos e o jogou no chão. Ele sofreu múltiplas fraturas e ferimentos internos, ficou em coma por três meses, e, neste período, sofreu a amputação de ambos os braços.

“Mergulhei nas drogas e na depressão. Nos quatro anos seguintes, minha vida só piorou. Mas, felizmente, chegou o dia do despertar. Percebi que era muito mais forte do que pensava e que o mundo está cheio de pessoas boas que podem nos ajudar a superar nossas dificuldades”, relata o homem em sua página. 

Atualmente, Felix compartilha sua rotina com milhares de seguidores, além de realizar palestras motivacionais contando sua história e dividindo sua parceria com a esposa, a professora de ioga Sylwia Gretarsson.

CNN Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo