EconomiaGeral

Declaração do Imposto de renda é adiada para 30 de junho

Entenda os principais motivos para a prorrogação da declaração do IR e como isso afeta a vida dos contribuintes.

Mesmo em tempos mais tranquilos, realizar a declaração do imposto de renda é uma tarefa complicada. Diante do cenário de pandemia mundial atual, fazer a declaração do IR se tornou uma obrigação mais caótica ainda. Por conta do aumento das reclamações dos contribuintes sobre as dificuldades enfrentadas, a Receita Federal decidiu prorrogar o prazo final em 60 dias.

A disponibilidade de um tempo maior para realizar a declaração do imposto de renda deve ser vista como uma oportunidade para rever gastos e investimentos. Assim, esse pode ser o momento para reavaliar qual a melhor previdência privada que combina melhor com você e suas necessidades.

Prorrogação do prazo para declaração

No dia primeiro de abril foi publicada a decisão de José Barroso Tostes Neto, secretário da Receita Federal. A entrega das declarações que deveriam ocorrer até às 23h59 do dia 30 de abril, foi adiada em 60 dias, com prazo final agora em 30 de junho.

De acordo com a Receita Federal, a modificação no calendário ocorreu devido ao alto volume de reclamações dos contribuintes no mês de março. As principais queixas relatam a dificuldade na obtenção de documentos junto à empresas e clínicas médicas para dedução de gastos. 

Por conta da crise causada pelo Covid-19,  as empresas que exercem serviços não-essenciais foram obrigadas a transferir seus colaboradores para o regime de home office. Dessa forma, o acesso a documentos e declarações naturalmente ficou mais difícil.

Em relação a clínicas médicas, com a pandemia, a grande maioria dos consultórios interrompeu seus atendimentos, visto que a determinação é não sair de casa. Sendo assim, recibos de pagamentos também podem demorar um pouco mais para serem enviados.

Quem deve declarar imposto de renda

A expectativa da Receita Federal é de que 32 milhões de brasileiros realizem a declaração em 2020. São obrigados a prestar contas todos aqueles que, no ano de 2019, obtiveram rendimentos tributáveis iguais ou superiores a quantia de R$ 28.559,70.

Para aqueles que receberam rendimentos isentos (tributados direto da fonte ou não tributáveis) com soma igual ou superior a R$ 40 mil, a declaração de imposto de renda também deve ser realizada.

Malha fina

Realizar a declaração do imposto de renda não é algo simples. Por conta do receio de preencher algo errado, muitas pessoas recorrem a ajuda de contadores para fazer tudo da maneira correta. Para quem se arrisca sozinho, fica sempre a dúvida sobre a “malha fina”.

Em casos que sejam observadas quaisquer divergências entre a declaração e os documentos, a Receita seleciona essa mesma declaração para uma nova análise, dessa vez mais minuciosa. Essa é a famosa e temida malha fina.

De acordo com a própria Receita Federal, os principais motivos que levaram a retenção de declaração dos contribuintes foram:

  • Omissão de rendimento do titular ou seus dependentes, correspondendo a 35,6%;
  • Despesas médicas, no segundo lugar com 25,1%;
  • Divergências entre o IRRF informado na declaração e as informações contidas no DIRF, ocupando 23,5% dos casos,
  • Dedução de previdência privada ou oficial, dependentes, pensão alimentícia e outras, em último lugar representando 12,5% dos casos.

A melhor forma de evitar cair na malha fina é se programando para declarar com calma o imposto de renda. O erro de muitos é deixar tudo para cima da hora, aumentando as chances de preencher algo errado, enviar um documento incorreto ou simplesmente se esquecer de declarar alguma coisa.

O contribuinte também deve manter em mente que é de extrema importância a clareza na hora de informar os bens, rendimentos e dívidas – próprios e de seus dependentes. Além disso, não deve aumentar os valores ou esquecer gastos que devem obrigatoriamente ser declarados, tais como despesas médicas e pensões alimentícias.

Dessa forma, com a prorrogação do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda, o brasileiro contribuinte pode se planejar da melhor forma para não cometer nenhum erro. Com mais 60 dias para correr atrás dos documentos necessários para declarar os gastos e rendimentos é de se esperar que uma porcentagem menor de pessoas caia na malha fina. Fique atento a sua declaração e não deixe isso acontecer com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar