COVID-19Saúde

De quais maneiras a inteligência artificial auxilia em meio a pandemia de COVID-19

Nenhuma outra pandemia foi ocorreu no meio de tanta tecnologia. A inteligência artificial é uma das tecnologias mais efetivas que está sendo utilizada no combate ao coronavírus. Usar da inteligência artificial no RH e para a saúde das pessoas ao redor do mundo pode garantir uma diminuição no número de infectados e mortos, e menos prejuízo para a economia global.

Essa tecnologia está sendo utilizado ao redor do mundo com o objetivo de mitigar os efeitos do novo vírus. A missão da inteligência artificial é se mostrar presente no combate a expansão do surto pelo mundo.

Inteligência artificial poderia conter ou abrandar surto de coronavírus?

De certa maneira, o uso da inteligência artificial foi preponderante para a identificação dos primeiros indícios do surto de coronavírus. Em 30 de dezembro de 2019, pesquisadores que utilizam um sistema com a tecnologia puderam detectar a propagação de uma doença incomum, similar a uma gripe, na província Wuhan, na China, local de origem do surto.

Na época, os pesquisadores estavam revisando mídias e redes sociais quando descobriram os primeiros sinais de propagação do coronavírus. Eles conseguiram identificar o novo vírus dias antes da OMS (Organização Mundial da Saúde) e um mês antes da ONU (Organização das Nações Unidas) declarar emergência global de saúde por conta da Covid-19.

De acordo com o cientista de computação da Northeastern University, Clark Freifeld, disse que não se sabe ao certo se a inteligência artificial poderia conter realmente os efeitos causados em todos os âmbitos da sociedade por conta do novo coronavírus.

Freifeld trabalha na principal plataforma de vigilância global HealthMap, afirmou que apesar do serviço ter sido um dos primeiros a identificar o novo coronavírus, fica difícil saber se seria possível conter a pandemia, já que é bastante difícil determinar a gravidade de uma nova doença respiratória.

Não é de hoje que os sistemas de inteligência artificial mostram resultados no aparecimento de surtos. Há 17 anos atrás, segundo Kamram Khan, fundador da BlueDot, dados também mostraram os primeiros sinais do surto de Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave), mas na época ainda não se sabia quão contagioso era o vírus que espalhou a doença.

Mineração de dados pode ajudar a identificar tratamentos adequados para a Covid-19

Uma das principais formas de atuação da inteligência artificial no período está na mineração de dados. Estes sistemas estão sendo utilizados para revisar pesquisas ao redor do mundo, com o objetivo de encontrar indícios de tratamentos que podem funcionar para conter o surto de coronavírus.

No fim de março, pesquisadores de empresas como a Microsoft e a Chan Zuckerberg Iniciative, junto a Universidade de Georgetown, se uniram à Casa Branca e disponibilizaram cerca de 29 mil artigos de pesquisa específicos sobre o coronavírus. A iniciativa busca encontrar formas comuns de enfrentar e mitigar os efeitos das doenças propagadas por estes tipos de vírus.

Inteligência artificial na saúde para combater o surto de coronavírus

Algumas iniciativas no ramo da saúde ao redor do mundo têm sido exemplos da utilização da inteligência artificial durante o surto de coronavírus. O Tampa General Hospital da Flórida, nos EUA, por exemplo, tem implementado um sistema algorítmico para identificar febre em pacientes internados no hospital.

No Sheba Medical Center, em Israel, os países de Covid-19 estão sendo monitorados através de um sensor de inteligência artificial. O sensor foi posicionado embaixo dos colchões dos leitos do hospital e consegue monitorar pontos importantes do paciente como a atividade cardíaca e respiratória.

A inteligência artificial também ajuda no desenvolvimento de novos remédios no combate ao coronavírus. Apesar da produção de vacinas contra o coronavírus estarem longe de acontecer, o uso da inteligência artificial pode acelerar todo esse processo.

Combate à solidão da quarentena com a inteligência artificial

A inteligência artificial também está sendo utilizada para combater a solidão durante a quarentena. O isolamento social, até o momento, tem se mostrado o meio mais eficiente de conter a disseminação do vírus.

Com isso, a maior parte dos cidadãos do mundo se encontra atualmente a quarentena. Mas o que fazer durante o período? Como curar a solidão que abate quem vive sozinho? Os robôs cuidadores, por exemplo, são ferramentas da tecnologia pensadas para auxiliar e servir de companhia para pessoas idosas durante o isolamento.

Outros tipos de robôs inteligentes também vêm ganhando destaque. Os robôs sexuais, também conhecidos como sexbots, podem ajudar pessoas de qualquer idade a encarar as suas necessidades sexuais durante o período. Já que no momento, as autoridades de saúde não recomendam a prática de sexo, mesmo entre pessoas casadas, por conta da proximidade.

Além do auxílio no combate a pandemia de coronavírus, a inteligência artificial se mostra útil contra qualquer novo surto que possa surgir nos próximos anos. Com o crescimento da tecnologia, a expectativa é que mais países possam desenvolver ferramentas de inteligência artificial ao redor do mundo, e isso ajudará na prevenção de novas doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo