Cidades

Casa Civil promove seminário sobre segurança alimentar e nutricional

DSC_5392Alimentação adequada e saudável é direito básico de todos. Discutir e traçar estratégias, unindo poder público e sociedade civil, para garantia do acesso a este direito é o principal objetivo do Seminário Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional e o SISAN na Bahia, promovido pela Casa Civil do Estado, através do Grupo Governamental de Segurança Alimentar e Nutricional (GGSAN). O encontro aconteceu nesta terça-feira (31), no auditório da Assembleia Legislativa da Bahia, em Salvador.

A mesa de abertura do evento contou com a presença dos secretários estaduais Bruno Dauster (Casa Civil e presidente do GGSAN) e Geraldo Reis (Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social), do presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA–BA), Naidison Baptista, do superintendente da Bahiater, Elionaldo Faro, e da coordenadora estadual dos Territórios de Identidade (CET), Cecília Petrina. Representando o governo federal, a coordenadora geral de apoio ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) no Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Patrícia Gentil.

Bruno Dauster destacou as conquistas alcançadas pelo estado da Bahia no que tange a segurança alimentar e frisou que ainda há um longo caminho a ser percorrido. “O combate à fome é pauta de extrema relevância. Avanços imensos foram obtidos. Na Bahia, ampliamos significativamente o número de domicílios em situação de segurança alimentar (SAN) entre 2004 e 2013. O esforço é grande para seguirmos nesse ritmo e o nosso trabalho não para”.

Segundo Naidison Baptista, é fundamental a compreensão da importância de se discutir ações que visem a segurança alimentar e nutricional da população. “Precisamos dar a mãos para que esta mensagem seja propagada e, futuramente, tenhamos um plano de segurança alimentar e nutricional que abranja toda a Bahia. Estou certo de que vamos dar conta desse objetivo, com entusiasmo e compromisso”.

Para o Cacique Umburana, da etnia Pataxó, representante dos povos indígenas no CONSEA-BA, as ações do governo em prol da SAN devem ser articuladas às produções das comunidades, da agricultura familiar. “Alimentação de verdade é a orgânica. Queremos que nossas crianças, na minha comunidade, possam, na escola, comer o peixe que pescamos, a galinha que criamos, a mandioca que plantamos”.

SISAN – O Governo Federal assumiu, com a criação do SISAN, em 2006, o compromisso com a inclusão da alimentação no rol dos direitos sociais consagrados pela Constituição, que reforça a obrigação do Estado de planejar e adotar estratégias para assegurar à população o direito humano à alimentação adequada e saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo