Entretenimento

‘A solidariedade humana vai vencer a estupidez’ diz doadora de leite sobre ação contra Danilo Gentili

DANILO GENTILI - LEITEO humorista Danilo Gentili e a técnica de enfermagem Michele Maximino vão ficar cara a cara nesta quarta-feira (4) no Fórum de Olinda, em Pernambuco, às 13h. A audiência é referente a um processo por danos morais movido pela técnica de enfermagem contra o humorista, após ele ironizar o recorde alcançado por ela, em 2013, por doar 417 litros de leite materno em 11 meses. A família de Michele espera o apoio de grupos feministas no dia da audiência e um coletivo de mulheres já organizam um “mamaço” para sensibilizar a Justiça e a sociedade brasileira sobre o ato de amamentar, além de repudiar as repreensões por amamentar em locais públicos, seja por conotação sexual, ou por censurar/denunciar fotos de amamentação em redes sociais. Após ser noticiado que a técnica de enfermagem havia marcado um recorde mundial em doação de leite materno, Danilo Gentili fez piada do assunto quando apresentava o programa “Agora é Tarde”, na Band, comparou o leite materno ao esperma de um ator de filme pornô e ironizou o tamanho dos seis de Michele. Através de uma liminar, Michele conseguiu tirar o vídeo, exibido em outubro de 2013, da internet. A família teve conhecimento do vídeo no dia seguinte, quando uma aluna de Ederval Trajano, marido de Michele, que é professor de história, o avisou. Com a repercussão do vídeo, a família precisou se mudar de Quipapá para Jaboatão dos Guararapes, para que Michele pudesse superar o quadro de depressão após exibição do programa. Segundo Trajano, fãs de Gentili telefonavam durante a madrugada para casa deles, chamando a mulher de vaca e falando que queria mamar, “quero leite direto da fonte”. Até o momento, o apresentador pediu desculpas. De férias do programa “The Noite”, Gentili postou uma foto no Instagram e disse: “Esperando os processos”. O quadro de depressão motivado pelas ofensas verbais fez com que o leite do seio esquerdo de Michele secasse e prejudicou o aleitamento da filha mais nova, Mariana, na época com 1 ano. A carreira de Ederval também foi prejudicada, pois os próprios alunos nas redes sociais “brincavam” com a história. Michele começou a doar leite após Mariana nascer prematura e ficar em uma UTI neonatal. Michele amamentava a filha e fornecia leite para outras crianças que estavam na UTI. Caso ganhem a ação na Justiça, Ederval e a esposa pretendem destinar parte da indenização para os bancos de leite de Pernambuco.Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica o leite materno como o principal alimento dos bebês até seis meses de idade. A OMS afirma ainda que o aleitamento materno é benéfico para o desenvolvimento saudável de meninos e meninas até os 2 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar