GeralSaúdeSem categoria

A fumaça do churrasco é inofensiva?

O verão está aí e a época de churrascos se intensifica. Mesmo tomando todas as precauções em relação ao fogo, seja em uma churrasqueira convencional ou em uma churrasqueira portátil, você pode estar se expondo a mais perigos para a saúde do que imagina. Será que a fumaça do churrasco é inofensiva ou ela provoca algum dano à saúde?

As áreas enegrecidas dos alimentos grelhados (carne, aves, peixe) são uma fonte de produtos químicos cancerígenos. Esses produtos químicos danificam diretamente o DNA, nosso material genético, e iniciam mutações que podem levar ao desenvolvimento de câncer. Grelhar alimentos cheios de proteínas, como carne e peixe, cria dois tipos de compostos químicos que podem contribuir para o câncer: aminas heterocíclicas (HCAs) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAHs).

Os HCAs se formam na carne quando cozida em alta temperatura. Enquanto fritar e assar produzem esses mesmos produtos químicos, os pedaços carbonizados nas bordas da carne grelhada contêm HCA em seu estado mais puro. Demonstrou-se que os HCA, que também são encontrados na fumaça do cigarro, causam câncer em órgãos como estômago, cólon, fígado e pele – mas apenas em estudos com animais. Não está claro se os HCA causam os mesmos problemas em seres humanos.

Ainda assim, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA declarou recentemente que esses químicos tem grandes chances de serem cancerígenos também aos humanos.

Os PAHs, o segundo tipo de composto, são formados quando os sucos da carne pingam no carvão ou em outras superfícies quentes e soltam fumaça. Essa fumaça contém agentes cancerígenos, que serão depositados na superfície da carne enquanto ela está na churrasqueira.

Ao contrário da carne, vegetais e frutas não criam substâncias cancerígenas quando grelhados. Mas, felizmente, esse pequeno risco de câncer associado ao churrasco não é tão perigoso a ponto de você ter que renunciar à picanha do domingo com os seus amigos. Tomar algumas precauções durante o churrasco minimizará os riscos à saúde sem sacrificar o delicioso sabor a carvão.

Marine sua carne

As marinadas feitas com vinagre ou limão atuam como um “escudo invisível” que altera a acidez da carne e evita que a presença do HAP. Por outro lado, marinadas açucaradas, como molho de churrasco que incentivam a carbonização, devem ser usadas apenas nos últimos um a dois minutos na grelha.

Prefira sempre marinadas com ervas como alecrim, tomilho, orégano, alho, manjericão ou salsa, já que elas podem reduzir os HCAs em até 87%. Marine a carne na geladeira e coma a marinada apenas se tiver sido bem aquecida para evitar doenças bacterianas.

Compre cortes magros

Comprar cortes magros de carne, tirar a maior parte da gordura e embrulhar alimentos como peixe em papel alumínio ajudará a reduzir a fumaça, reduzindo a quantidade de sucos que pingam na grelha. Use uma gotejadora para pegar a gordura também.

Pré-cozinhe sua comida parcialmente

Usar o microondas para cozinhar parcialmente as carnes antes de grelhá-las pode reduzir os HCAs em até 90%. Isso reduz a quantidade de tempo que os alimentos passam na churrasqueira e permite que alguns sucos sejam drenados antes. Se quiser diminuir ainda mais o risco, vale fazer uso de uma churrasqueira elétrica (que dispensa o uso de carvão)

Coma mais frutas e legumes

Dietas à base de plantas contêm o menor número de promotores de câncer. Frutas e vegetais também fornecem uma abundância de antioxidantes que combatem o câncer e reduzem o estresse oxidativo que leva a danos no DNA. Dietas à base de vegetais levam a níveis mais baixos de inflamação, que é um ambiente protetor às células e ao DNA, inibindo o câncer em vez de promovê-lo. Tente grelhar legumes e frutas, que não formam produtos químicos causadores de câncer quando cozidos em altas temperaturas.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar