Entretenimento

Vivendo um traficante em série, Wagner Moura diz: "As drogas deveriam ser legalizadas"

WAGNER MOURA - NARCOInterpretando o traficante Pablo Escobar na série ‘Narcos’, Wagner Moura revelou ser a favor da legalização das drogas no Brasil. O ator lança a série nesta sexta-feira (28), que será exibida pelo Netflix. Em um bate-papo com o site ‘Ego’, o baiano falou que acredita que outros países devem aos poucos pensar no mesmo.

“Eu acho que não só no Brasil, mas toda a política de combate às drogas na América Latina segue um pouco a política de combate às drogas dos EUA, que é uma política de enfrentamento e de repressão. A gente nota que com o tempo as coisas vão mudando. Hoje em dia o consumidor já não é tão criminalizado em todos os países. Eu acho que é um processo sem volta no sentido de legalização das drogas”, disse.

Veja mais

‘Acho bom que figuras importantes da política possam ir para a cadeia’, diz Wagner Moura

Cauã Reymond substitui Wagner Moura em minissérie da Globo

‘Se me chamarem, não farei’, diz Wagner Moura sobre possibilidade de interpretar Edir Macedo

“É uma opinião que eu tenho, que talvez demore para acontecer, mas qualquer análise mais aprofundada – e eu não sou especialista em drogas nem nada -, não resiste ao fato de que os óbitos com relação ao abuso de drogas são muito menores em quantidade do que os óbitos da guerra contra o narcotráfico. A quantidade de dinheiro gasto com segurança pública é muito maior do que se gastaria com saúde pública. Para mim, as drogas são um caso de saúde pública, muito grave, muito sério. Não é não levar em conta o problema das pessoas com drogas, mas é um problema de saúde pública”, completou.

A série conta as histórias de chefões do tráfico de drogas no final dos anos 1980 e o início da campanha de ‘guerra às drogas” promovida pelos Estados Unidos. “É muito louco porque tem uma entrevista de Pablo Escobar para uma rádio em que ele fala exatamente isso: a tendência é que as drogas se tornem um comércio controlado pelo Estado. A minha opinião pessoal é essa: as drogas deveriam ser legalizadas”, explicou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo