Cotidiano

Vaticano declara que benção a uniões homoafetivas é ilícita

O Vaticano divulgou nesta segunda-feira (15), que foi declarado ilícito pelo Papa Francisco a prática de benção a relações ou uniões homoafetivas. Um documento publicado no dia 22 de fevereiro pela Congregação para a Doutrina da Fé resolveu uma dúvida suscitada em alguns setores da Igreja após o Sínodo sobre a Família em relação ao acolhimento de homossexuais.

De acordo com a nota, “em alguns âmbitos eclesiais, estão se difundindo projetos e propostas de bênçãos para uniões de pessoas do mesmo sexo”, no entanto, as bençãos só são compatíveis com aquilo que seja “objetiva e positivamente ordenado a receber e a exprimir a graça”.

O Vaticano reconheceu que a prática é um desejo sincero de acolhida, mas que não é apropriada. “A presença, em tais relações, de elementos positivos, que em si são dignos de ser apreciados e valorizados, não é porém capaz de torná-las honestas e, assim, um destinatário legítimo da bênção eclesial, pois tais elementos se encontram a serviço de uma união não ordenada ao desígnio do Criador”, afirma a nota.

Por outro lado, a Santa Sé destacou que é permitida a benção a indivíduos com inclinação homossexual que manifestam a vontade de viver de acordo com a doutrina da Igreja Católica. “A comunidade cristã e os pastores são chamados a acolher com respeito e delicadeza as pessoas com inclinação homossexual, sabendo encontrar as modalidades mais adequadas, coerentes com o ensinamento eclesial, para anunciar a elas a totalidade do Evangelho”.

Por fim, a nota ainda diz que a Igreja não deixa de abençoar “o ser humano pecador”, mas não o pecado. “[Deus] aceita-nos como somos, mas nunca nos deixa como somos”, pontua o Papa Francisco.

Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo