Justiça

Tribunal confirma a condenação de Lula em segunda instância

© Reuters

Após um longo voto em favor da manutenção da condenação proferida pelo juiz Sérgio Moro da 13ª Vara Federal em Curitiba, o desembargar João Pedro Gebran Neto impôs seu voto, 12 anos e 1 mês de prisão ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Gebran foi o relator do recurso apresentado pela defesa do petista e também impôs multa no valor de R$ 1,1 milhão.

Leandro Paulsen, seguiu a indicação do relator e também manteve a condenação de Lula.

A lei da ficha limpa diz que condenados em segunda instância, ficam inelegíveis, mas o ex-presidente terá que ter o futuro decidido pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE, visto que ser ele concorrer será “sub judice”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo