Polícia

Travesti que participou da morte dos motoristas por aplicativo prendeu e espancou as vítimas

Benjamin, conhecido como Amanda, foi o travesti que participou da morte dos motoristas por aplicativo em Santo Inácio em 13 de dezembro. Ele foi apresentado à imprensa nesta sexta-feira (27) e já tinha outras cinco passagens, por receptação de veículos roubado, tráfico de drogas
duas por porte de arma e outra por tráfico de drogas.

O delegado Odair Carneiro, da Delegacia de Homicídios Múltiplos, contou que Benjamin narrou detalhes do crime, que havia iniciado no dia anterior, com o roubo de celulares na estação Pirajá:

“Obrigaram a vitima a desbloquear e chamaram o motorista e eles eram capturados e levados para esse cativeiro”, afirmou o delegado. Ele afirmou que o intuito era roubar os veículos, celulares e outros pertences das vítimas. Mas duas fugiram e mudaram os planos dos criminosos.

Das duas vitimas, uma conseguiu escapar pelo matagal. Outra foi recapturada e executada com golpes de facão e tiros de armas de fogo. Além de Benjamin, outros quatro participaram do crime, sendo um adolescente.

Odair afirmou que Benjamin (Amanda) não chegou a matar nenhum dos motoristas, mas teve importante participação no crime: “Espancou uma das vítimas, chamou a primeira, foi buscar a segunda, tomou conta das vitimas no cativeiro, presenciou as execuções. O mais violento é o Jel, lider do tráfico, e o adolescente que realizou o famoso tiro de misericórdia”, afirmou o delegado. Fonte: Blog do Rodrigo Ferraz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo