Saúde

Tratamento de fibromialgia: saiba como funciona

O tratamento da fibromialgia é algo primordial para que as pessoas afetadas por essa doença possam ter uma boa qualidade de vida. Trata-se de uma síndrome que causa dor por todo o corpo, sendo um sintoma muito comum a outras doenças, sendo assim, é importante identificá-la corretamente antes de iniciar qualquer abordagem terapêutica. 

A fibromialgia é uma doença crônica e não se sabe bem o porquê de ela acometer inúmeras pessoas por todo o mundo. Estima-se que até 6% da população mundial apresenta algum grau dessa doença – que é mais comum em mulheres. 

Curioso para saber como essa doença funciona assim como o seu tratamento? Continue lendo esse texto e descubra mais! 

Conhecendo a fibromialgia, seus sintomas e o diagnóstico 

Sensação similar a dor muscular que pode se apresentar por todo o corpo (costas, pernas, pés, mãos, pescoço, braços, etc.), sendo comumente descrita como uma alta sensibilidade ao toque. 

Também é comum entre os pacientes o relato da sensação de frio mais intensa que em pessoas normais; e a sensação de fadiga intensa e constante normalmente associada ao sono não reparador, ou seja, o indivíduo já acorda cansado. 

Alguns outros sintomas são: 

  • Sensibilidade ao urinar; 
  • Dores de cabeça e enxaquecas; 
  • Distúrbios emocionais e psicológicos como depressão e ansiedade; 
  • Rigidez nas articulações; 
  • Dificuldades cognitivas (memória e atenção); 
  • Pernas inquietas ao deitar (o acometido sente que precisa fazer algo como andar para aliviar o sintoma); 

É importante salientar que a dor não acompanha sinais de inflamação ou mesmo feridas. 

Definindo de forma mais clara, essa é uma condição na qual o paciente apresenta uma disfunção no sistema que regula a dor, ou seja, é como se o sistema nervoso do indivíduo interpretasse simples ações como flexão e extensão dos músculos como algo nocivo e doloroso. 

É comum que a síndrome se desenvolva após: 

  • Traumas físicos e/ou psicológicos; e 
  • Infecções graves. 

Como funciona o diagnóstico 

Não existem testes específicos para diagnosticar a fibromialgia, isso porque não se tem uma clara visão sobre o que causa e porque o corpo age dessa forma. Sendo assim, restam aos médicos um bom exame clínico. 

Para fechar o diagnóstico médico dessa condição é necessário que o paciente apresente pelo menos 2 pré-requisitos: 

  1. Apresente dores sem sinal motivo claro por 3 meses; 
  1. Tenha dor em pelo menos 11 dos 18 pontos pré-definidos. 

Como funciona o tratamento de fibromialgia 

O primeiro ponto importante sobre o tratamento dessa síndrome dolorosa é que a mesma não melhora com analgésicos comuns como, por exemplo, os anti-inflamatórios que usamos quando estamos com a garganta inflamada. 

Abordagem medicamentosa 

Como a dor não é causada por nenhum agente interno, logo, não é inflamatória, é utilizada uma outra abordagem que inclui o uso de medicamentos antidepressivos, relaxantes musculares e moduladores neurais. 

Muitos pacientes questionam o uso dessas classes de medicamentos, uma vez que não parecem ter um impacto direto na dor, contudo, essa é uma doença muito mais complexa e esses tipos de medicamentos já se mostraram eficientes no manejo da mesma. 

Além disso, é necessária uma abordagem multidisciplinar, envolvendo outros profissionais de saúde além do médico e também a mudança de hábitos. 

Tratamento não-medicamentoso 

Um dos aspectos do tratamento da fibromialgia é a inserção de hábitos saudáveis na vida do indivíduo. Claro, a prática de exercícios físicos deve ser realizada com o acompanhamento de um profissional a fim de não exceder os limites dos pacientes e piorar a condição. 

Ademais, a prática de exercícios físicos libera endorfinas – hormônios que ajudam diretamente a manejar o controle da dor. Também é comum a prática de fisioterapia. Outras atividades relaxantes também são recomendadas. 

Há também a abordagem que utiliza práticas da medicina tradicional chinesa a fim de manejar a dor. Uma das mais famosas é justamente a acupuntura que utiliza agulhas a fim de regular o funcionamento cerebral. Contudo, não é aconselhável abandonar o tratamento convencional e apostar somente no tradicional. 

Utilizar uma frente de tratamento com foco na saúde mental e emocional do paciente é algo necessário em muitos casos. O indivíduo tem toda a sua qualidade de vida afetada e, não raro, os familiares e pessoas próximas do paciente questionam os sintomas e reclamações do mesmo, fazendo dessa uma experiência ainda mais traumática. 

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar