Esportes

Thiago Silva fala em voltar ao Fluminense após a Copa do Mundo-2022 para encerrar carreira

Em entrevista exclusiva à ESPN Brasil, o zagueiro Thiago Silva, do Chelsea, confirmou que planeja retornar ao Fluminense, clube que o revelou, para encerrar a carreira.

De acordo com o defensor, isso ocorreria provavelmente após a disputa da Copa do Mundo de 2022, no Catar, com a seleção brasileira, em que o veterano tem esperança de estar.

Na conversa com a reportagem, Thiago disse que não iria “prometer” nada, mas admitiu que planeja, sim, pendurar as chuteiras nas Laranjeiras.

“Eu vim para a Premier League para procurar me manter em alto nível, para ter a oportunidade de chegar à Copa (de 2022). A gente não sabe o dia de amanhã, mas estou me preparando, vamos ver o que vai acontecer… Depois da Copa, quem sabe a gente não tem um retorno (ao Fluminense) aí…”, afirmou.

“Não estou prometendo nada, mas é uma ideia minha, um pensamento que eu tenho de encerrar um ciclo dentro do futebol onde eu tive uma das minhas maiores felicidades”, acrescentou.

Silva iniciou sua carreira na base do Flu, em Xerém.

No entanto, ele “estourou” mesmo para o futebol entre 2003 e 2004, quando passou por RS Futebol e Juventude, ambos do Rio Grande do Sul.

Na sequência, ele foi negociado com o Porto, e depois foi emprestado ao Dínamo de Moscou.

Durante sua passagem pela Rússia, porém, o zagueiro sofreu com uma grave tuberculose, que o tirou dos gramados e o levou a ficar internado por seis meses.

A volta ao futebol ocorreu em 2006, quando ele retornou ao Fluminense, se recuperou da doença e passou a vestir a camisa tricolor como profissional pela 1ª vez.

Thiago atuou por três temporadas nas Laranjeiras, conquistando a Copa do Brasil, em 2007, e sendo vice da Libertadores, em 2008.

Ele se despediu em 2009, rumo ao Milan, como grande ídolo da torcida. Agora, pensa no retorno ao Rio de Janeiro para “fechar o ciclo”.

“Ter passado pelo Fluminense, ter feito a história que eu fiz no clube, para mim foi motivo de grande orgulho, por ser Tricolor, por ter a família quase toda Tricolor, e por ter passado momentos brilhantes”, recordou.

“O que mais me marcou foi minha despedida, como eu pude postar recentemente. No último jogo, contra o Ipatinga, 53 mil pessoas no Maracanã para ver minha despedida. Durante a semana, as Laranjeiras praticamente lotadas, eu passava horas e horas autografando após o treino para tentar atender todo mundo”, rememorou.

“Foi um carinho muito grande que eu tive, e principalmente porque, logo após a minha doença, a tuberculose que todo mundo sabe que tive (na Rússia), foi o clube que me abriu as portas para voltar ao futebol. Sou super grato ao Fluminense, por tudo aquilo que passei, e espero que esse retorno possa acontecer”, finalizou.

Espn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo