Geral

Tentativas de fraudes aumentaram 18% no primeiro mês de quarentena

Confira algumas maneiras de se proteger durante as compras

Por Rodolfo Milone

Em meio às recomendações de isolamento social e medidas para reduzir aglomerações, a área do comércio sofreu expressivas mudanças, exigindo que tanto empresas, quanto o público, se adaptassem à nova realidade. Nesse contexto, notou-se o crescimento das vendas por canais digitais, fazendo aumentar também as dificuldades relacionadas a essa área.

De acordo com uma pesquisa realizada pela ClearSale, empresa de soluções antifraude, as tentativas de fraude no comércio eletrônico cresceram durante a quarentena, apresentando um aumento de 18% só no primeiro mês de isolamento, totalizando R$ 69 milhões de fraudes evitadas. O levantamento mostra que o setor de Drogarias foi o que mais sofreu tentativas de fraude, com um crescimento de 60% durante o período. Em seguida, vieram os segmentos de magazines (lojas de departamento), com alta de 50%, e o setor de vestuário, com aumento de 25% no número de fraudes barradas. No total, incluindo outras categorias, foram evitados R$ 129,6 milhões em roubos pela internet.

Para chegar a esses dados, foram analisados cerca de 10,4 milhões de pedidos, o equivalente a mais de R$ 4,7 bilhões em transações. Foram considerados os períodos de 15 de janeiro a 20 de fevereiro, antes das medidas para contenção do coronavírus, e de 1º a 20 de abril, já com o isolamento social em vigor, comparando a variação média diária entre os períodos.  

Como se proteger

Para que os clientes façam uma compra segura, é muito importante ficar atento à veracidade do site onde a compra está sendo efetuada. Isso pode ser feito a partir de pequenas observações, como a presença da sigla ‘https’ na barra de endereço do site, confirmando que as informações são criptografadas. A forma de pagamento também é outro fator importante, por isso, os pagamentos com o cartão de crédito devem ser prioridade, já que dessa maneira é possível fazer a verificação do valor pelo extrato e contestar a compra, solicitando o estorno (chargeback), caso seja necessário.

Outra forma de ficar seguro em relação à compra é consultar portais de opinião, onde outros clientes podem fazer reclamações e comentários acerca do atendimento pós-venda, da segurança no momento da transação e de outras questões que podem ser relevantes para futuros compradores. Caso o site de vendas receba muitos comentários negativos, pode ser uma boa opção procurar locais alternativos para adquirir o produto.

Além disso, desconfie caso seja solicitado o envio de dados pessoais ou do cartão de crédito por e-mail ou telefone. A troca de dados por esse tipo de canal não deve acontecer,  sendo um forte indício de atividade fraudulenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo