Cidades

Temer pode deixar articulação política do governo Dilma e agravar crise

PMDB-reforma-políticaA crise política enfrentada pelo governo Dilma Rousseff (PT) não foi revertida pelo articulador político do Palácio do Planalto, Michel Temer (PMDB). O vice-presidente da República chegou ao posto com a missão de cumprir promessas de cargos e emendas parlamentares para viabilizar votações no Congresso Nacional, mas tem encontrado dificuldades e pode vir a deixar a função.
 
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) afirmou nessa quinta-feira (2) que Temer está sendo sabotado pelo PT, que estaria represando a liberação de emendas parlamentares e indicações políticas, além de estar se posicionando contra assuntos que são largamente apoiados pela população.
 
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, auxiliares da presidente Dilma avaliam que o rompimento com o PMDB levaria a crise política ao auge, fomentaria o impeachment e faria Cunha usar toda a sua força contra o governo.
 
A saída de Temer do posto e consequentemente o rompimento do PMDB com o governo poderia levar a crise que o Palácio do Planalto ao auge.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo