Política

Supremo nega prisão, mas afasta Aécio novamente do mandato de senador

Senador foi colocado numa espécie de prisão domiciliar.

O supremo Tribunal Federal nesta terça-feira (26), através da primeira turma por 3 votos a 2 decidiu afastar o senador Aécio Neves do PSDB do mandato parlamentar, o pedido de prisão feito pelo ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, mas foi negado. Foram a favor do afastamento os ministros,  Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux, enquanto Marco Aurélio Mello e Alexandre de Moraes foram contra e vencidos.

O senador também foi impedido de deixar o pais, e terá um espécie de prisão domiciliar, tendo que se recolher a noite e não ter contato com outros investigados, na operação Lava Jato. Aécio ficou em maus lençóis após a delação primada do grupo JBS.

Em Julho, o senhor foi denunciado por crimes de corrupção passiva e obstrução à justiça, mas o supremo ainda não decidiu se ponhe Neves no banco dos réus.

Aécio foi gravado em uma conversa com o empresário e delator Joesley Batista em que pediu 2 milhões de reais para custeio de sua defesa na Operação Lava Jato. O dinheiro foi efetivamente entregue pela empresa, por meio do diretor de relações institucionais, Ricardo Saud, a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo