Esportes

'Subutilizado', Milton Cruz é demitido do São Paulo após 22 anos

MILTON CRUZ - SPFC 2Milton Cruz não é mais funcionário do São Paulo. Membro da comissão técnica do clube do Morumbi desde 1994 e treinador interino por diversas vezes nesse período, ele foi comunicado da demissão nesta quinta-feira pelo novo diretor de futebol, Luiz Cunha.

“Infelizmente, algumas vezes a gente tem de cortar na própria carne. Pelas circunstâncias e pelo momento, fomos obrigado a fazer. Conversamos com o Milton hoje (quinta), falamos que ele é um profissional extremamente bem sucedido no São Paulo, mas estava subutilizado e achamos mais justo e honesto conversarmos francamente. Também atendemos ao momento de restrição econômica e financeira de todo o Brasil e por isso, fizemos o desligamento dele”, disse Cunha no CT da Barra Funda.

Leia mais

OAB vai protocolar novo pedido de impeachment de Dilma na segunda

Dilma deve ir às ruas para fazer campanha em defesa de seu mandato

Irmã de Neymar é rejeitada por emissoras ao tentar emplacar programa

Depois de fazer parte da comissão fixa do São Paulo, Milton Cruz perdeu espaço com a chegada de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, à presidência do clube. Sempre lembrado para assumir o comando do clube em momentos de mudanças de treinadores, e responsável pela indicação na contratação de jogadores, o profissional tinha sido rebaixado de cargo e colocado no departamento de análise de desempenho tricolor.

“Com profissionalismo. Todos nós somos desligados de uma empresa em um momento e ela continua. Os jogadores vão sair um dia, eu vou sair. Tem o lado profissional. O outro lado é o humano. Vamos sentir falta da pessoa”, completou o dirigente, que assumiu o cargo de Ataíde Gil Guerreiro há menos de uma semana.

Em 2015, Milton Cruz assumiu o clube em duas oportunidades, quando substituiu Juan Carlos Osorio e depois Doriva, e ajudou o clube do Morumbi a garantir a classificação para a Copa Libertadores de 2016 mesmo vivendo uma das maiores crises políticas de sua história. Ao todo, foram 42 jogos à frente do São Paulo, sendo 22 vitórias, oito empates e 12 derrotas.

Estadão

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo