Entretenimento

Sub-celebridades levam a pior nas urnas e não garantem vaga na Câmara

Virou moda entre as sub-celebridades concorrer a uma vaguinha na Câmara Municipal para garantir o pão-nosso-de-cada-dia, já que, no mundo artístico, está cada vez mais difícil. Com a quantidade de famosos instantâneos que surgem a cada dia, não é muito difícil sair dos holofotes e ser esquecido por boa parte do público. Como a concorrência acabou ficando desleal, o jeito é tentar se aventurar no mundo da política, mesmo sem nem saber para que lado vai, como é o caso de muitos. No entanto, em Salvador, as sub-celebridades não tiveram vez e a tentativa de chegar à Casa do Povo vai ficar para a próxima. Vejamos as “sub” que tentaram e não levaram.

Para espanto geral, a dançarina Léo Kret não conseguiu abocanhar a vaguinha no gabinete 24 da Câmara. Apesar dos 7.495 votos, Léo Kret não foi reeleita e terá que voltar a ser apenas uma dançarina; o ex-pugilista Reginaldo Holyfield também tentou, mas não teve a mesma sorte que seu colega Acelino Popó e vai ficar de fora do mundo político, apesar dos 5.611 votos; o mesmo aconteceu com Luiz Dórea, treinador do atual campeão do peso-pesado do UFC, Junior Cigano, que teve 2.230 votos, mas não saiu vencedor; a jornalista Aline Castelo Branco foi às ruas, tentou se livrar da imagem de “patricinha” e abocanhou 3.859 votos, insuficientes para sua eleição. A moça reclamou nas redes sociais a falta de apoio do partido (PMDB) “e até, de quem mais esperava que fosse me apoiar”; a “delegata” Patricia Nuno teve 2.680 votos, mas vai ter que se contentar com o título de delegada gata; Fabety Boca de Motor pensou que fosse ter a mesma sorte de Léo Kret mas, se nem a própria conseguiu, não era a cópia quem ia levar, né? Perdeu com 1.473 votos; o cantor Geronimo faz a festa na Escadaria do Paço (Pelourinho), é agraciado pelo público, mas é apenas isso que seus fãs querem que ele seja: cantor. Geronimo teve 929 votos.

Compadre Washington chegou a ir para a porta das festas fazer sua propaganda corpo-a-corpo tentando conquistar o público da “night”, mas tem gente que não aguenta Compadre nem no É o Tchan. A prova está nos seus 410 votos; a Mulher Perereca vai ter que continuar pulando para lá e para cá, sensualizando para ganhar algum. Essa anda mesmo sem prestígio: foram apenas 151 votos e, por fim, completa o time a ex-participante do primeiro reality show da Bahia, “O Trio Reality”, da TV Aratu e dançarina, Cissa Chagas, a Mulher Maravilha, que teve candidatura impugnada e, por isso amargou 0 votos.

E a vida continua… Com uns cantando, outros pererecando, outros delagateando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo