Cotidiano

Soldados russos sabotam veículos e se rendem aos ucranianos

Soldados russos que participam dos conflitos na Ucrânia, que já se estendem pelo sétimo dia nesta quarta-feira (2), estariam se rendendo em massa e sabotando os próprios veículos para evitar combates. A informação foi confirmada por um alto funcionário do Pentágono ao jornal The New York Times, sob condição de anonimato. Os militares estariam atormentados pelo baixo moral das tropas e pela escassez de combustível e alimentos.

Segundo informações do alto funcionário do Pentágono, algumas unidades russas depuseram as armas sem lutar, após enfrentar a resistência da defesa ucraniana. Ao jornal, a fonte teria dito ainda que um número significativo de tropas russas são jovens, mal treinadas e mal preparadas para os ataques. 

Em alguns casos, de acordo com a autoridade, há relatos de que as tropas russas teriam aberto buracos nos tanques de gasolina dos veículos para evitar o combate. O funcionário do Pentágono não deu detalhes, porém, de como as tropas teriam chegado a essas avaliações. As informações teriam vindo ao seu conhecimento a partir de declarações de soldados russos capturados e de interceptações de comunicações.

Segundo o jornal, esses indícios podem ajudar a explicar por que as forças russas, compostas de um comboio de tanques e veículos blindados de 64 km, demoraram para se deslocar para Kiev, capital da Ucrânia. 

Além de enfrentarem a escassez de combustível e alimentos, os comandantes russos que lideram os ataques em direção a Kiev, de acordo com o funcionário, podem estar “se reagrupando e repensando” os planos de invasão para tomar a capital, o que é considerado inevitável pela inteligência dos EUA.

“Eles têm muito poder disponível”, disse o funcionário do Pentágono, acrescentando que 80% dos mais de 150 mil soldados russos reunidos nas fronteiras da Ucrânia se juntaram ao conflito.

R7

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo