Cidades

Sinais indicam que não será preciso aumentar impostos, diz Meirelles

HENRIQUE MEIRELESO ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quarta-feira (3) que os sinais de recuperação da economia reduzem a necessidade de aumento de tributos para cobrir o déficit público.

“Acreditamos que não seja necessário o aumento de tributos”, afirmou Meirelles, em palestra no Rio, após enumerar indicadores que mostraram melhora nas últimas semanas, como a confiança do empresariado e do consumidor e o crescimento da produção industrial.
Divulgado pelo IBGE na terça-feira (2), o indicador de produção industrial cresceu 1,1% em junho, o quarto mês seguido de alta na comparação com o mês anterior, frisou o ministro.

Ele argumentou ainda que a trajetória da arrecadação tem acompanhado, nos últimos anos, o nível de confiança do empresariado, que começou a melhorar.

“Não abrimos mão do cumprimento da meta, mas tudo indica que será via arrecadação, com a recuperação da atividade econômica, e via receita com concessões”, concluiu.

Meirelles reforçou, porém, a necessidade de reforma na previdência, para evitar aumento de 10% na carga tributária em relação ao PIB nos próximos 10 anos.

“Mais importante do que definir a partir de que idade (a pessoa) vai receber a aposentadoria, é garantir que ela vai receber. E já temos estados com problemas nessa área”, defendeu.

Em sua palestra, o ministro voltou a argumentar que o debate em torno dos limites de reajustes para servidores não têm impacto no processo de renegociação da dívida dos estados.

Segundo ele, a principal contrapartida, que é a limitação do crescimento dos gastos à inflação do ano anterior, será mantida. Essa parte, diz o ministro, é “inegociável”.O limite dos reajustes, frisou, era uma “questão secundária”, incluída no debate pelos próprios governadores e não pelo governo federal.

Leia mais

Sexo consentido com outras pessoas pode apimentar longas relações

“A outra revolução em Cuba chega aos dez anos”, fala Raúl Castro

Esperma pode causar reação alérgica

Lavagem de dinheiro: R$ 10 bilhões foram desviados na Bahia desde 2010

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo