Cotidiano

Sem clube, Daniel Alves se oferece ao Barcelona

Jogador de 38 anos disse que pode voltar ao clube em entrevista à jornal espanhol

Sem clube desde que saiu do São Paulo na volta da conquista da medalha de ouro das Olimpíadas de Tóquio, o lateral Daniel Alves ainda não sabe onde vai jogar no futuro. Ao que tudo indica, ele quer voltar a jogar na Espanha, mais precisamente no Barcelona, onde foi peça importante no melhor momento da história do clube.

“O único lugar neste mundo onde tenho casa é Barcelona. Se acham que precisam de mim, só têm que me chamar” disse Daniel Alves ao jornalista Joaquim Piera, correspondente no Brasil do jornal catalão Sport, um dos mais influentes quando o assunto envolve o clube azul-grená.

O Barcelona vive uma crise financeira e futebolística. Antes um dos queridinhos nos sites de apostas, o time comandado por Ronald Koeman tem acumulado fracassos na temporada e corre o risco de ser eliminado na primeira fase da Liga dos Campeões da Europa, algo inimaginável no passado recente do clube.

Daniel Alves atuou pelo Barça por oito temporadas, entre 2008 e 2016. Por lá, fez 391 jogos, marcou 21 gols e empilhou títulos: ganhou três Champions League, quatro Copas do Rei e venceu seis vezes o Campeonato Espanhol. É considerado um dos jogadores mais importantes do clube e uma referência entre os atletas mais jovens.

Ao que parece, no entanto, as chances de voltarem neste momento são mínimas. Logo após a entrevista, a apuração do próprio jornal Sport, que publicou a entrevista, negou um possível retorno. A volta também foi tratada com desdém por outro jornal espanhol, o Mundo Deportivo.

“Ainda acho que posso contribuir em qualquer lugar, só que mais no Barça pelo número de jovens que têm agora. Em todos os lugares que estive, sempre achei que a combinação perfeita é a experiência com a juventude. Chegará o momento em que os jovens amadurecerão, e os mais velhos partirão. É um ciclo natural, mas no futebol se cometem erros, e esse processo se acelera. Os processos não podem ser acelerados”, afirmou  Daniel Alves ao Sport.

Ele prossseguiu. “A mistura é essencial. Já fomos jovens e não estávamos preparados para defender uma responsabilidade tão grande como defender o Barça, por mais que se dê a bola e por mais que falem deles. Tudo é novo É a mistura dos dois que dá equilíbrio e a possibilidade de lutar por grandes coisas”, completou.

Os rumores sobre uma possível volta ao Barcelona aumentaram não só pelas declarações do atleta, mas também porque o brasileiro é amigo pessoal do atual presidente do clube, Joan Laporta, que o contratou junto ao Sevilla em 2008.

“Joan sabe tudo o que penso dele e tudo o que fez pelo Barça e por todos nós. Isso não é novidade. É explícito, sempre disse isso. Fico muito feliz que esteja no comando novamente. A dificuldade vem para provar qual é a sua grandeza e sua capacidade. E o Barça vai voltar… Pode ser em meio ano, em três meses, em um ano, mas voltará, porque sempre voltou e não será agora que não terá sucesso. Nós que amamos o clube estamos dispostos a ajudar de alguma forma, para que recupere aquele poder, aquela filosofia de conexão entre todos que apaixonou em todo o mundo”, disse Daniel Alves.

Mesmo com idade avançada, o brasileiro acha que pode contribuir com um time que está em reconstrução. “No Brasil fiz 95 jogos em dois anos. Joguei os Jogos Olímpicos com jovens de 20 anos e tive um ótimo desempenho”, disse o jogador, que foi capitão da seleção nacional comandada por André Jardine.

Ao deixar o São Paulo, Daniel Alves chegou a negociar com Fluminense e Atlético Paranaense, mas não assinou com nenhum dos dois. Com a janela de transferências para a Europa fechada, ele preferiu ficar sem clube a assinar com uma liga menor, como nos EUA, México e Oriente Médio. A espera pode ter valido a pena se o negócio com o Barça de fato acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo