Saúde

Sarampo está de volta no Brasil, surto já provoca morte em São Paulo

Foto: Ministério da Saúde

O sarampo fez a primeira vítima fatal no estado de São Paulo, a doença que estava praticamente erradicada no Brasil volto a preocupar autoridades em saúde em todo o país.

Nesta quarta-fira (28), foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde – SES, a primeira morte no estado desde 1997.

A vítima não teve a identidade reveladas, fortes dizem que ele tinha 42 anos, e não era imunizado contra a doença.

O último balanço divulgado pelo SES apontou 2.457, no estado, a maior parte na grande São Paulo, 66%.

O surto de sarampo fez a prefeitura da maior cidade brasileira, prorrogar a campanha de vacinação até 31 de agosto, as doses são ofertadas para jovens de 15 a 29 anos, e bebes de seis meses a um ano de idade.

Sarampo na Bahia.

No fim de julho a SESAB – Secretaria de Saúde o Estado da Bahia, alertou para o surto em terras baianas, após três casos importados de São Paulo serem notificados no estado, diante do surto no país, a SESAB passou a orientar a intensificação da vacinação contra o doença para todos os municípios do estado.

Sintomas do sarampo.

Os principais sintomas do sarampo são: tosse, podendo ser seca e irritativa; febre alta; coriza, sensibilidade à luz; manchas vermelhas na pele e dores no corpo. A doença é altamente contagiosa.

A maioria dos casos de sarampo são notificados em crianças, menores de cinco anos.

Os caos mais graves pode apresentar complicações como infecções respiratórias, encefalite com dano cerebral, surdez, lesões severas de pele, inflamação nos ouvidos.

Gestantes infectados pelo sarampo podem sofrer abortou ou parto prematuro.

Por que o sarampo voltou?

O sarampo foi eliminado das Américas em 2016, a constatação foi dada pela Organização Mundial da Saúde, na época a Organização Pan-americana da Saúde (Opas), deu certificação ao Brasil, como país livre da doença, mas o sarampo voltou a ser preocupação dois anos após, em 2018, quando dois surtos foram identificados, sendo Roraima e Amazonas, os estados afetados, logo após, casos foram notificados em São Paulo, Rio Grande do Sul, Rondônia e Rio de Janeiro.

O pesquisador da Fiocruz Luiz Antonio Camacho, disse em 2018 que a certificação não significava erradicação. “Erradicação, podemos falar somente da varíola, pois erradicamos a espécie, e o vírus não circula em nenhuma parte do mundo. Sarampo nunca alcançou isso.” É alertou “Basta vir um caso, atingir esses suscetíveis, e a doença se espalha rapidamente.” Finalizou ele.

Etiquetas
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar