CotidianoGeralNotícias

Sangrar entre menstruações ou após a menopausa pode ser sinal de câncer de colo de útero

examegineologico-300x200Dia desses durante um bate-papo com uma amiga, ela me contou que havia sido infectada pelo vírus HPV (papilomavírus humano) há alguns anos. Como já apareceu uma pequena alteração na superfície do útero, já tratada, ela precisa monitorar “bem de pertinho” com exames regulares. Hoje em dia, tudo está bem com ela! Mas vocês sabiam que o HPV é responsável por 99% dos casos de câncer de colo de útero?
Durante o Roche Press Day, fórum de saúde que participei na última semana, em Cartagena das Índias, na Colômbia, o pesquisador-chefe do GOC (Grupo de Oncologia Ginecológico) e professor da Universidade de Califórnia, nos Estados Unidos, Krishnansu S. Tewari, chamou atenção dos jornalistas ao dizer que 90% dos homens e mulheres entram em contato com o vírus. Dessas pessoas, 95% conseguem eliminar o HPV de forma natural, mas 5% das mulheres desenvolvem câncer de colo de útero.
Nas fases iniciais, esse tipo da doença não apresenta sintomas. Mas, quando eles aparecem, os principais são “sangramento no intervalo das menstruações ou após a menopausa e dores nas costas na região dos rins”, explica o médico da Califórnia. Lembrando que, além do câncer, o HPV pode provocar verrugas na região genital. Por isso, é necessário buscar ajuda médica.
Se descoberto no comecinho, é possível tratar tranquilamente e não há riscos de a mulher ter dificuldades para engravidar. Já em casos mais avançados, a mulher corre o risco de não poder ter filhos. Por isso, é muito importante a realização do exame papanicolau uma vez por ano. Até porque o intervalo de contaminação pelo vírus e o aparecimento do câncer pode demorar anos.
Como o Saúde sem Neura já explicou em outro post, o papanicolau é capaz de detectar o câncer de colo de útero e outras lesões causadas pelo HPV, e deve ser realizado uma vez por ano a partir dos 25 anos em mulheres que já iniciaram a atividade sexual até os 64 anos.
O HPV é transmitido por contato direto com a pele na relação sexual, e não é necessário penetração para que isso aconteça. O sexo oral e anal sem proteção também são formas de se pegar HPV. Por isso, o médico alerta que a forma mais eficaz de prevenir a doença é usando camisinha. Além disso, ele destaca a importância da vacinação contra o vírus.
— O ideal é que a vacina seja dada antes do início das relações sexuais, pois, ela será 100% efetiva, antes de o corpo ter contato com o papiloma.
Mas, mesmo quem já iniciou a vida sexual, também  pode tomar a vacina! O ideal é conversar com o médico e entender melhor os benefícios da imunização.
O assunto é sério e todas nós mulheres temos que nos cuidar. No Brasil, segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de colo de útero é o terceiro mais comum entre as mulheres, atrás de mama e colorretal.
R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo