Cidades

Rússia e Catar podem perder a Copa, admite auditor da Fifa

RUSSIA - 2018Pela primeira vez desde a eclosão da crise na Fifa, um alto funcionário da entidade admite que os Mundiais na Rússia e no Catar podem estar ameaçados. Domenico Scala, auditor da Fifa, indicou que a revisão das sedes de 2018 e 2022 pode ocorrer se ficar provado que houve suborno e compra de votos no processo de escolha das sedes. Rússia e Catar eram as piores candidaturas, de acordo com os informes técnicos da Fifa. Mas quando a escolha ocorreu em dezembro de 2010, elas foram as vencedoras. Imediatamente depois de anunciado, uma série de escândalos começaram a surgir.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou com exclusividade que Ministério Público suíço suspeita inclusive de Ricardo Teixeira, que teria usado um jogo da seleção brasileira para justificar o pagamento de propinas. Dias depois da partida que ocorreu no Catar, o então presidente da CBF votou pelo Catar para a Copa de 2018. “Se evidências surgirem que a concessão dos Mundiais apenas ocorreu por conta de propinas e compra de votos, então a escolha pode ser cancelada”, disse Scala, em um e-mail à Agência Estado.

Ele deixa claro, porém, que “essas evidências” ainda não foram apresentadas. Tanto o MP suíço quanto o FBI investigam o caso, interrogando os eleitores que participaram na época do voto e coletando material em dezenas de locais diferentes pelo mundo. Scala ainda aponta que a decisão final não seria dele, mas do Comitê de Ética da Fifa. Há um ano, a entidade deu o caso por encerrado, insistindo que não existiam evidências suficientes para chegar a tal medida.

Naquele momento, o investigador independente da Fifa, Michael Garcia, pediu demissão. Alegou que a Fifa havia abafado parte de suas descobertas num trabalho que custou US$ 4 milhões. Tanto o Catar quanto a Rússia vêm atacando sugestões de que poderiam perder os Mundiais. Para os organizadores árabes, as críticas contra o país e as sugestões de compra de votos são “demonstrações de racismo”. EUA e Austrália estavam entre os concorrentes para 2022. Já o Kremlin passou a acusar o FBI de ter manipulado as prisões na Fifa para tentar derrubar a Copa em Moscou, por conta da crise entre Vladimir Putin e o Ocidente. Neste domingo, os líderes do G-7 devem debater a crise no futebol, inclusive no que se refere às escolhas de sedes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo