Cotidiano

Roubo de celular: quem é mais assaltado?

(Crédito: divulgação)

De acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Roubo de celulares no Brasil, realizada por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas opinion Box, os roubos de celulares atingem igualmente a homens e mulheres. Mas há diferenças regionais e de faixa etária no perfil detectado pelo levantamento.

O questionário foi  aplicado online junto a 2.532 brasileiros que acessam a internet e possuem smartphone, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. As entrevistas foram feitas em junho de 2019. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, com grau de confiança de 95%.

Na região Norte, 65% dos entrevistados já tiveram o celular roubado ou furtado, contra 34% da região Sul. As diferenças também estão presentes na faixa etária dos indivíduos: nesse quesito, os jovens são os mais assaltados (52%). Dentre as pessoas com 50 anos ou mais, apenas 34% foram vítimas desse crime. Tais dados refletem o medo que os donos de smartphone possuem em atender ligações na rua.

Entre os que possuem celular, 84% dizem evitar atender a uma ligação na rua, sendo que 33% afirmam que tomam esse cuidado em qualquer rua, enquanto 51% dizem que “depende da rua”. Só 16% dos entrevistados disseram que atendem às chamadas onde quer que estejam. As mulheres são as mais receosas: 42% evitam atender em qualquer rua e 46% dependendo do local onde estão, totalizando 88%. A atitude cautelosa vale para 79% dos homens — 23% em todas as ruas e 46% em algumas delas.

Como é de se imaginar, o medo é maior entre aqueles que já foram roubados ou furtados. 87% destes evitam atender chamadas quando estão na rua, contra 81% daqueles que nunca foram vítimas. A preocupação tem fundamento, já que 47% dos entrevistados já tiveram pelo menos um celular roubado ou furtado. Na média, cada vítima teve 1,57 aparelho levado por criminosos.

A notícia positiva está no número de celulares roubados ou furtados nos últimos meses. Nos seis primeiros meses de 2018, 23% dos entrevistados tiveram celulares roubados ou furtados. Na pesquisa feita em 2019, esse número caiu para 17%. O percentual de vítimas entre seis e 12 meses atrás, por sua vez, teve uma queda de 22% para 19%. O resultado negativo fica entre as vítimas que foram assaltadas há mais de um ano: passou de 55% para 64%.

Outro aspecto detectado pela pesquisa foi o número de pessoas que possuem seguro para celular. Apenas 15% dos internautas brasileiros com smartphone utilizam o serviço. O número aumenta para aqueles que já foram vítimas de roubos e furtos (19%), contra 12% dos que nunca tiveram um celular roubado ou furtado. A contratação do seguro é mais popular entre os jovens de 16 a 29 anos (21%) do que entre as pessoas de 30 a 49 anos (13%), ou entre as que têm 50 ou mais (11%).

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar